quarta-feira, 15 de julho de 2015

A revolução em COCAL- Desenvolvimento municipal no século XXI


Balão da Praça Camila Silva
Fonte Tropical Noticias
Raimundo Martins

Em pleno Século Vinte e Um, a cidade de Cocal vem viabilizando obras de infra-instrutora em todo município mudando a sua cara, que não para de crescer nas áreas educacionais, culturais e saúde. Dia vente dois de agosto Cocal faz sessenta e sete anos, uma data importante para muitos, em ver sua cidade em desenvolvendo, aqual originou-se em função da construção da estrada de ferro que ligou o litoral à capital Teresina, e uma grande estação ferroviária (1923). Este prédio contribuiu significativamente para o surgimento da vila.

O município de Cocal á 268 quilômetros da Capital Teresina Estado do Piauí, foi criados em 1937 pela Lei nº 160 de 28 de julho, sendo seu território desmembrado de Parnaíba. Promulgada a 22 de agosto de 1947 a elevação do povoado a categoria de cidade, fato acontecido um ano depois, em 22 de agosto de 1948.

A vila ficou conhecida como cidade, zona rural de Parnaíba. O nome COCAL foi uma homenagem a primeira moradora do lugar, a viúva Camila Silva, que tinha duas palmeiras de coco babaçu plantadas em frente de sua casa, onde hoje se situa a rua Cel. João Marques. “Coerente” “com sua origem ambiental e nome, o município de COCAL deve buscar” o desenvolvimento que procure satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de definição mais comum de desenvolvimento. 


Precisamos valorizar e incrementar a agricultura natural que preza pela pureza do solo, acreditando que, quando ele está vivo, mantido livre de substância que atrapalha seu funcionamento original, é capaz de fornecer todos os nutrientes de que a planta necessita par a crescer forte e proporcionar produtos carregados de energia vital, que realmente alimentam que os consome.
O meio ambiente cultural de Cocal é belo e rico, pronto para ser explorado, temos: Igreja de Nossa Senhora do Rosário, (Talvez a mais antiga do Piauí), Olho D’água do sitio Frecheiras, pedra de Torres em Olho D’água, Pedra da espia (um verdadeiro Abismo) em Itapecuru, Engenho Velho em Algodões, e outros monumentos históricos que podem ser explorados em nosso Município.

Com isso pode-se resgatar e investir mais na cultura como fonte de recursos da poderosa indústria do turismo. O turismo é a atividade econômica que mais cria emprego, aumenta a renda e melhora a qualidade de vida das comunidades interioranas. E mais: ainda abre espaço para a cultura, educação e para a preservação ambiental, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico de um povo.

Como atrações turísticas temos: festival junino, festejos da padroeira,carnaval e outras festas para que possa reunir e atrair centenas de pessoas para a cidade. Os eventos resgatam e preservam tradições culturais locais, mostrando a realidade por meio de comunicação.

Alguns pontos da cidade

Com isso, outra ação nessa área é a educação com a finalidade promover e idealizar projeto junto com a prefeitura para incentivar e valorizar as diversidades e potencialidades culturais e artísticas existentes no município, o foco principal são os adolescentes e jovens que, muitas vezes, se mostram carentes de atividades extraescolares, não aproveitando o tempo ocioso ou dedicando-o a atividades que os levam à marginalidade.

Para se integrar às atividades do ponto artístico-cultural, a exemplo teatro, fantoche, cinema, dentre outros. E também das oficinas ofertadas como artesanato, musical, danças, leitura e redação, fotografia, rádio, filmagem e produção de audiovisuais. “Vimos o quanto a juventude de Cocal é carente de perspectivas que elevem sua auto-estimas, seu potencial para as artes ou para profissões ligadas à inovação, ciência e tecnologia, como é o caso das oficinas de fotografia, filmagem e rádio”, afirma Raimundo Martins que é diretor da Rádio Tropical FM.

A nossa geração tem o privilégio de viver um dos mais singulares momentos da epopéia humana- uma transição de paradigma histórico, representada pelo esgotamento da Sociedade Industrial e sua substituição pela Sociedade do Conhecimento, para ultrapassarmos incólume este momento é necessário gestão, educar e inovar sob uma nova consciência.

Olho D'água da Frecheira
Centro de Cocal
Cachoeira do Engenho Velho
Bairro São Francisco
As autoridades municipais em uma noite de folguedo na Nova Praça de Eventos (2015)
Bairro Santa Teresinha dando visão ao centro da cidade

Pedra da Espia no povoado Itapecurú

Igreja Nossa Senhora do Rosário em Frecheira( Talvez a mais antiga do Piaui - 1616)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...