quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Em destaque negativo Educação Piauiense

Apenas 15% das escolas públicas do Piauí contam com bibliotecas

Dados são do Censo Escolar de 2014 e mostram problemas na educação.
 
Cerca de 40 crianças estudam em escola de taipa em Miguel Alves (Foto: Flaviane Tajra/Arquivo Pessoal) 
Escola de taipa na zona rural de Miguel Alves, no Norte do Piauí (Foto: Flaviane Tajra/Arquivo Pessoal)
A educação pública oferecida aos piauienses ainda patina e enfrenta grandes desafios. Foi o que apontaram os dados do Censo Escolar 2014 compilados a pedido do G1 pela Fundação Lemann e pela Meritt, responsáveis pelo portal QEdu. De acordo com os números, das 5.092 escolas públicas existentes no Piauí somente 777 contam com biblioteca. O número corresponde a apenas 15% do total.
A mesma pesquisa mostra que os colégios particulares investem mais no acesso à leitura com 85% dos estabelecimentos equipados com bibliotecas.
Os resultados revelam ainda outros dados preocupantes sobre as escolas públicas espalhadas nos 224 municípios do Piauí. De todas as instituições, somente 14% possuem dependências acessíveis a portadores de deficiência. Em algumas cidades do interior o número é ainda mais gritante. Fartura do Piauí, a 600 km de Teresina, não há nenhuma escola que ofereça condições de acessibilidade.
Merendeira foi esfaqueada pelo marido dentro do Liceu Piauiense, Centro de Teresina (Foto: Gilcilene Araújo/G1) 
Alunos no Colégio Liceu Piauiense, no Centro de Teresina (Foto: Gilcilene Araújo/G1)
O levantamento engloba todas as escolas que ofertam os ensinos infantil regular, fundamental regular, médio regular, educação especial substitutiva e Educação de Jovens e Adultos (EJA). O Censo Escolar é realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).
Os dados mostraram ainda que apenas 11% das escolas públicas do Piauí possuem sala de leitura e somente 31% tem laboratório de informática para uso dos estudantes. O número mais modesto é o de laboratórios de ciências. Segundo o Censo, são 3% com esse tipo de espaço no estado, correspondente a um total de 147 unidades.
Procurada pelo G1 para comentar os dados, a secretária de Educação do Piauí, Rejane Dias, disse que vai analisar os números com a equipe da secretaria, mas assegurou que a meta do governo é tornar todas as escolas estaduais acessíveis.
"Temos que tornar todas as escolas acessíveis, não apenas do ponto de vista arquitetônico, mas da acessibilidade plena, com professores capacitados e novas salas multifuncionais. Esses percentuais estão muito aquém do desejado, mas foi o que nós encontramos", disse a secretária.
Ainda de acordo com ela, a secretaria vai mapear as escolas e identificar onde existem as maiores demandas de alunos com necessidades especiais. Segundo Rejane, a Secretaria da Educação já está trabalhando para incluir esses novos serviços no Plano de Ações Articuladas (PAR), do Ministério da Educação.
Unidade Escolar na cidade de Cristino Castro, no Sul do Piauí (Foto: Patrícia Andrade/G1) 
Unidade Escolar na cidade de Cristino Castro, no Sul do Piauí (Foto: Patrícia Andrade/G1)
Já a secretária de educação de Fartura do Piauí, Josélia da Silva Neta, contestou os dados do Censo Escolar 2014 e informou que no município existem duas escolas adaptadas para pessoas com deficiência. Segundo ela, a adaptação ocorreu do ano passado para cá, inclusive para atender a um professor que é cadeirante.
A gestora ainda afirmou que muitos dados ficam omissos no Censo Escolar, mas justificou que na maior parte das escolas não existe adaptação porque não há portadores de deficiência em muitas comunidades do município de Fartura do Piauí. Ao todo, são 14 escolas pertencentes a rede municipal.
"Graças a Deus não tem surgido essa necessidade nas comunidades, mas estamos providenciando a acessibilidade nas demais escolas", falou à secretária municipal.
fonte: G1piaui.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...