segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Justiça ouve ex-prefeito e empregada acusados de matar primeira-dama

Depoimentos acontecem nesta segunda-feira (23) no fórum de Valença.
Além dos acusados, também serão ouvidas 20 pessoas entre testemunhas.
Prefeito mentiu em depoimento sobre a morte da mulher, segundo a polícia (Foto: Gustavo Almeida/G1) 

O ex-prefeito de Lagoa do Sítio, José de Arimateas, o Zé Simão, e sua ex-empregada Noêmia Barros serão ouvidos na manhã desta segunda-feira (23) no fórum de Valença do Piauí. Eles são suspeitos de matar Gercineide Monteiro, ex-mulher de Zé Simão. O crime aconteceu no dia 10 de fevereiro deste ano e chocou os piauienses.

Além dos acusados também serão ouvidas 20 pessoas entre testemunhas de defesa e acusação. Familiares e amigos de Zé Simão e de Noêmia foram para a porta do fórum levando cartazes e faixas pedindo a liberdade dos dois.
Empregada doméstica é suspeita de ser co-autora
do crime. (Foto: Gustavo Almeida/G1)

Zé Simão está preso suspeito de assassinar a esposa com um tiro na cabeça. O crime aconteceu em fevereiro deste ano. Além dele, a empregada doméstica do casal Noêmia Maria da Silva Barros é considerada pela polícia como suspeita do crime.

Em abril, a Câmara de Vereadores de Lagoa do Sitio, 240 km de Teresina, cassou o mandato do prefeito da cidade José de Arimatéas Rabelo, o Zé Simão (PT). Na mesma sessão, o vice-prefeito que estava no cargo de forma interina, foi empossado como prefeito da cidade. Antônio Benedito de Moura (SD), o Antônio Ditoso exerce cargos públicos há sete mandatos consecutivos em cidades da microrregião de Valença

Entenda o caso A primeira-dama Gercineide Monteiro foi morta no dia 10 de fevereiro com um tiro no ouvido, enquanto dormia na sua casa em Lagoa do Sítio. No primeiro momento, a polícia chegou a acreditar que a morte se deu forma natural pela ausência de vestígios de violência no corpo da vítima, mas exames realizados pelo Instituto Médico Legal (IML) em Teresina acusaram que a vítima foi assassinada com um tiro no ouvido enquanto dormia.

Durante as investigações, a Polícia Civil disse que o crime foi cometido por José de Arimateas, prefeito de Lagoa do Sítio e marido da vítima, com ajuda da empregada Noêmia Maria da Silva, 42 anos. Ela teria escondido a arma usada no assassinato a pedido do prefeito e chegou a confirmar um relacionamento amoroso com José Arimateas, segundo a polícia.

Os dois foram presos no mesmo dia do crime, mas negam a autoria do assassinato. A Polícia Civil indiciou os dois por homicídio qualificado.



Do G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...