quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Enfermeiros do Piauí deflagram greve por tempo indeterminado

Enfermeiros, auxiliares e técnicos reivindicam reajuste, entre outras coisas. Categoria faz manifestação e espera se reunir com governo do estado
Profissionais da saúde do estado realizaram manifestação em frente ao Palácio de Karnak na manhã desta quinta-feira (4), esperando reunião com o governador Wellington Dias e o secretário de saúde Francisco Costa. Cumprindo decisão tomada em Assembleia Geral na última semana, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem do Piauí deflagraram greve na manhã desta quinta-feira (4). A categoria reivindica, além de reajuste salarial, a implantação do PCCS (Plano de cargos, carreira e salários) e do adicional de insalubridade.


A greve atinge todo o estado do Piauí, e segundo o Senatepi (Sindicato dos enfermeiros, auxiliares e técnicos em enfermagem do Piauí), apenas 30% dos servidores dos setores de urgência e emergência de cada hospital estão funcionando. Os setores de ambulatório, por não serem essenciais, estão totalmente parados. Segundo a estimativa do sindicato, isto representa 70% da mão de obra dos hospitais do estado.

Entre as reivindicações, a categoria foca principalmente no reajuste salarial. De acordo com Francisco Alex, diretor jurídico do Senatepi, os trabalhadores tiveram perdas salariais nos últimos dois anos. “Nossa principal reivindicação é o reajuste salarial. Nos últimos dois anos, a inflação foi de 17% e nós não tivemos aumento. A prefeitura de Teresina deu, mas o estado não”, diz o sindicalista.

Outras reivindicações são o enquadramento, que não estaria sendo praticado há mais de 10 anos e prevê promoções e aumentos salariais para os profissionais de acordo com avaliações de desempenho, tempo de serviço e grau de escolaridade, além da volta do adicional de insalubridade, que o sindicato afirma ter sido cortado pela metade, e da implantação do Plano de cargos, carreira e salários.

A categoria esteve reunida nesta manhã em frente ao Palácio de Karnak, esperando ser recebida para negociar o fim do movimento grevista. “Já enviamos um ofício solicitando uma reunião, para vermos se evolui esse movimento de greve. Estamos aguardando uma reunião há qualquer momento, não importa feriado, trabalhamos em qualquer época. Qualquer momento estamos esperando sermos convocados. Só a partir daí vamos botar para votação da categoria para botar fim a greve”, explica Francisco Alex, anunciando que a próxima assembleia geral está prevista para a próxima quinta-feira (11).



Fonte: JL/G1PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...