segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Famílias ocupam fórum contra liminar que suspendeu obras em Teresina

Decisão barrou obras da Agespisa e da Eletrobras no Parque Vitória. Manifestantes cobraram realização de audiência para resolver o impasse

D
ezenas de moradores do Parque Vitória, Zona Sul de Teresina, ocuparam na manhã desta segunda-feira (22) a sede do Fórum Cível e Criminal. As famílias protestam contra uma liminar deferida em setembro de 2015 que proibiu a realização de obras de abastecimento de água e de energia na comunidade. Com a suspensão, os moradores afirmam que vêm sofrendo com a precariedade dos dois serviços.
O local onde está situada grande parte do Parque Vitória foi declarado de interesse social pela prefeitura de Teresina e em seguida autorizada as ordens de serviço para obras de eletrificação e abastecimento.
Apesar da declaração, o proprietário do local entrou com uma ação na Justiça alegando falta de pagamento pela compra do terreno e conseguiu barrar as obras da Agespisa e da Eletrobras.
De acordo com o líder comunitário José da Cruz, são mais de três mil famílias da área prejudicadas com o impasse e por isso os moradores resolveram acampar no Fórum Cível e Criminal para cobrar uma audiência com as partes resolvidas. Ele afirma que sem os serviços de eletrificação os moradores estão se utilizando de gambiarras e exigem a regularização da situação.
Líder comunitário tenta acordo após chegada da Polícia Militar (Foto: Gustavo Almeida/G1)"A prefeitura declarou interesse social e não pagou o proprietário. Quem está sendo prejudicado é a população. A administração municipal tem que se entender com o dono porque nós precisamos da retomada das obras de eletrificação. Queremos que essa liminar seja suspensa, pois são 70 hectares de terra com os serviços parados", disse o líder comunitário.
O aposentado Alteredo de Jesus Medeiros, 65 anos, reside no Parque Vitória há cinco anos e diz que a casa onde mora possui uma gambiarra por conta da não regularização dos serviços de eletrificação do local. Segundo ele, é preciso que as autoridades tomem providências para resolver a situação e melhorar a vida dos moradores.
"O que nós queremos é ficar lá com tudo regularizado, pois as casas têm gambiarras para poder ter energia elétrica. Peço a Deus para que os homens tenham compaixão da gente e melhorem a nossa realidade porque nós não merecemos viver nessa situação ruim", falou o aposentado.
Após a chegada da coronel Júlia Beatriz, do gerencimento de crise da Polícia Militar, foi marcada a audiência com as partes envolvidas para a próxima sexta-feira e os manifestantes decidiram deixar as dependências do fórum.



Fonte: JL/G1PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...