quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Vigilância Sanitária é acionada sobre a péssima qualidade da água em Luzilândia

Com a cheia o rio, em conseqüência das chuvas, há uma quantidade muito grande de desejos descendo nas águas
Inconformados com o descaso e na intenção de prevenir doenças, moradores de Luzilândia denunciam à Vigilância Sanitária a contaminação da água distribuída pela Agespisa na cidade, solicitando providências e uma fiscalização do órgão sobre a qualidade do líquido distribuído indistintamente.

A baixa qualidade e a contaminação através das águas do Rio Parnaíba, que abastece a cidade, tem causado vários transtornos à saúde dos luzilandenses, sobretudo de crianças e idosos. Segundo os moradores, em determinados locais da cidade o líquido aparece "alaranjado", tamanha a sujeira. Em outros, um "líquido espesso", "denso e grosso", que escorrega pela pele das pessoas como se fosse um óleo, uma graxa.

A primeira medida adotada na cidade foi obrigar o Hospital Estadual Gerson Castelo Branco (foto), o único da cidade, a servir água mineral aos pacientes e ao corpo médico, bem como de enfermagem e administrativo, para evitar contaminação e prevenir doenças.

Com a cheia do rio, em conseqüência das chuvas, há uma quantidade muito grande de desejos descendo nas águas. Como a bomba da Agespisa é próxima ao cais do porto das pedras, que recebe, inclusive, enxurrada do Igarapé Grande, o risco de contaminação se acentua, o que obrigou a Vigilância Sanitária a intervir e adotar medidas de urgência.

No hospital , por exemplo, a Vigilância Sanitária está mantendo um constante monitoramento para obrigar a direção a cumprir a determinação sanitária e não mais servir a água distribuída pela Agespisa.



Fonte: JL/Ivo Júnior

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...