segunda-feira, 7 de março de 2016

Preso é achado morto em cela da Central de Flagrantes de Teresina

Corpo foi encontrado por policiais na manhã desta segunda-feira (7). Vítima apresentava sinais de agressão na cabeça e no rosto

U
m preso identificado pela polícia como Iziel Carvalho de Abreu, 29 anos, foi encontrado morto na cela 2 da Central de Flagrantes de Teresina na manhã desta segunda-feira (7). De acordo com o delegado Luciano Alcântara, coordenador da delegacia, a suspeita é que tenha sido homicídio já que havia sinais de agressão no rosto e cabeça.

"Hoje, ao levar o café da manhã, os policiais foram informados de que havia um detento morto. Ainda não é possível afirmar que se trata de homicídio, mas há indicação porque apesar de não ter perfurações, há sinais de agressão na cabeça e no rosto e o corpo dele foi encontrado em posição de defesa (de barriga para cima). Chamamos a Delegacia de Homicídios, Tropa de Choque e o IML para os procedimentos necessários", falou o delegado Luciano Alcântara.

Ainda conforme o delegado, há ainda a possibilidade do preso ter morrido ainda na madrugada do domingo (6), mas somente nesta segunda foi que os demais detentos avisaram aos policiais. No entanto, segundo Luciano Alcântara, somente a perícia poderá apontar a causa morte e ainda o tempo.

"No domingo não foi ouvida nenhuma movimentação estranha pelos policiais que estavam no plantão", destacou o delegado.

Iziel Carvalho foi preso na cidade de José de Freitas suspeito de furto e roubo, mas como a delegacia estava lotada ele foi transferido para a Central de Flagrantes de Teresina na sexta-feira (4).

"Ele chegou a se envolver em confusão lá na delegacia de José de Freitas, inclusive, ateou fogo em colchões. Trazido para cá, ele ainda se envolveu em confusão. Passou pela triagem, e ele mesmo pediu para ser colocado na cela onde foi encontrado morto", disse.

Segundo o delegado Luciano Alcântara, as vistorias nas celas da Central de Flagrantes acontecem todas as semanas. Ainda de acordo com ele, não há uma periodicidade específica nas vistorias, mas garanto que elas acontecem pelo menos três vezes toda semana.

"O que acontece nesse caso foi que ele foi colocado na cela ainda no início da tarde de domingo, e apenas a polícia tomou conhecimento da sua morte pela manhã. Por isso, a ele morreu nesse horário, entre a tarde de domingo e o início da manhã de segunda", contou.

A Central de Flagrantes de Teresina tem atualmente 50 presos, mais que o dobro da capacidade que é para 22 detentos.



Fonte: JL/G1PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...