segunda-feira, 2 de maio de 2016

CRM flagra falso médico dando plantão em hospital público do Piauí

Caso foi descoberto durante fiscalização em 20 unidades de saúde no estado.
Fiscais do CRM registraram ocorrência contra o falso profissional.

Fiscais do Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM) denunciaram à polícia um falso médico atuando como plantonista no hospital municipal de Porto, a 158 km de Teresina. O caso foi descoberto durante fiscalização finalizada no domingo (1º), em 20 unidades de saúde no Norte do Piauí.

Na operação, os fiscais verificaram se o profissional tinha cadastro de médico e descobriram que o registro utilizado por ele pertencia a outra pessoa. O Conselho ainda entrou em contato por telefone com o suspeito, que ao ser informado da fiscalização desligou a ligação.
Emanuel Fortes, presidente do Conselho Regional
de Medicina do Piauí (Foto: Reprodução/TV Clube)

Segundo o presidente do CRM-PI, Emmanuel Fontes, a administração do hospital não apresentou a ficha contratual do médico e nem soube explicar se conferiu a veracidade das informações do profissional. Diante da situação, os fiscais registraram um boletim de ocorrência sobre o fato e o Conselho enviou ofício para o departamento da Polícia Federal do Piauí e para o Ministério Público, para que eles investiguem o caso.

"O falso médico foi denunciado por exercício ilegal da profissão, que também se configura como o de falsidade ideológica, uma vez que o suspeito utilizou o registro de um outro médico devidamente registrado no CRM", falou.

Mais irregularidades
Ainda no hospital de Porto, a fiscalização identificou outras irregularidades como falta de escala de médicos e ausência de ambulância para transferência de pacientes. Outro problema constatado é a falta dos equipamentos de Reanimação Cardiopulmonar (RCP) nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades Mistas de Saúde (UMS) nas cidades de Cabeceiras, São João do Arraial,Matias Olímpio, Joca Marques, Madeiro, Morro do Chapéu, Caxingó, Caraúbas do Piauí eBrasileira.
Conselho Regional de Medicina fiscalizou 20 hospitais no Norte do Piauí (Foto: Divulgação/CRM)

Em Campo Largo do Piauí, a UBS encontrava-se fechada, sem nenhum funcionário trabalhando por volta das 16h30. Na cidade de Barras, o hospital foi recentemente reformado, mesmo assim as tomadas de energia estão fora dos padrões para os adaptadores e medicamento com prazo de validade vencido na urgência.

O presidente do CRM-PI, Emmanuel Fontes, avaliou que a maioria das UBS e UMS estão em bom estado de funcionamento, com estrutura física adequadas, com leitos de enfermaria e outros setores em bom estado de conservação e limpeza. Porém, uma falha em sua grande maioria foi a falta de equipamentos de urgência à disposição, como desfibrilador, cânulas e laringoscópio.

"Essas unidades de saúde precisam ter essa sequência completa de equipamentos de reanimação para que venham funcionar corretamente, isso não significa que necessitem das demais complexidades para salvar a vida de um paciente grave. Já os equipamentos de urgência são uma norma de prevenção e para garantir que se salve a vida de uma pessoa nos minutos iniciais até que a equipe médica acione uma ambulância para remoção do paciente fora de risco de morte para um hospital de referência da região”, explicou Emmanuel Fontes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...