quinta-feira, 12 de maio de 2016

Estudantes e professores da Uespi voltam a ocupar Karnak em protesto

Manifestantes reclamaram do cancelamento da reunião com o governador.
Professores e servidores da universidade estão em greve há mais de 20 dias.

Do G1 PI
Estudantes pularam as grades do Palácio de Karnak durante protesto (Foto: Gustavo Almeida/G1)

Cerca de 250 estudantes e professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) voltaram a ocupar na manhã desta quinta-feira (12) o Palácio de Karnak, Centro de Teresina. Segundo os manifestantes, o protesto desta vez é por conta do cancelamento da reunião com o governo do estado para tratar sobre a greve dos servidores e melhorias na instituição.

Os professores da Uespi estão em greve desde o dia 18 de abril, devido à falta de abertura de diálogo por parte do governo do estado para debater a campanha salarial. Já os técnicos administrativos, a principal reivindicação da categoria é a ausência de um plano de cargos e salários que possibilitem promoções e qualificações.
Estudantes cobram atendimento das reivindicações
(Foto: Gustavo Almeida/G1)

"Desde o último encontro prometeram nos receber hoje, contudo, na noite de ontem cancelaram a reunião pela terceira vez e agora só vamos sair quando formos recebidos. Nenhuma das nossas reivindicações foram atendidas, as bolsas continuam atrasadas e a lei que congela a progressão de carreira dos docentes nunca foi revogada", declarou Renato Rodrigues, membro da Assembleia Nacional dos Estudantes Livres (Anel).

Segundo a organização do movimento #SOSUespi, 100% dos campi no interior do estado estão parados. A estudante de direito Hithalla Kratza contou que 40 alunos do campi de Picos viajaram do Sul do estado à Teresina para participar do ato. Para ela, o governo vem tentando com as inúmeras remarcações desgastar o protesto dos alunos.

"O governo vem tentando manipular o movimento para que os estudantes desistam, mas nós vamos lutar. No curso de direito de Picos só temos um professor efetivo e o prédio novo anunciado pelo governador até a fiação elétrica é precária, fora uma série de problemas estruturais", comentou a estudante.

Estudantes e servidores caminharam pela Frei Serafim até o Karnak (Foto: Gustavo Almeida/G1)

Durante novo protesto, os manifestantes realizaram uma caminhada e chegaram a interditar o sentido Leste-Centro da Avenida Frei Serafim. Eles tocaram a paródia da música “Baile na Favela”, do cantor Mc João, para denunciar os problemas enfrentados pela instituição. A Polícia Militar foi acionada, mas não houve confronto com os estudantes.






Vistoria na Uespi
Após professores e técnicos administrativos da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) cruzarem os braços, uma comissão de deputados estaduais vão iniciar na segunda-feira (16) vistorias nos campi da capital e interior. Segundo o deputado Luciano Nunes, o objetivo é avaliar de perto a falta de estrutura na instituição, em greve há mais de 20 dias.

"A Uespi vive hoje um momento difícil da sua história, com os servidores em greve e várias manifestações dos alunos denunciando a falta de infraestrutura e de materiais na instituição. Além disso, temos o descumprimento do plano de cargos e carreiras dos professores. Tudo isso precisa ser analisado", pontuou Luciano Nunes.

Entenda o caso
Os professores da Uespi estão em greve desde o dia 18 de abril, devido à falta de abertura de diálogo por parte do governo do estado para debater a campanha salarial. Segundo a organização do movimento #SOSUespi, 100% dos campi no interior do estado estão parados.

Na quinta-feira (5), cerca de 200 estudantes e professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) realizaram um protesto em frente do Palácio de Karnak, no Centro de Teresina. Durante o ato, eles chegaram pular as grades, invadir o palácio do governo e com gritos de ordem cobravam melhorias na estrutura e mais segurança nos campi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...