quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Após mais de 10 horas, rebelião em presídio de Picos é controlada

Confusão teria começado após a morte de dois presos na quarta-feira (2).
Secretaria de Justiça disse que mais de 40 PMs foram enviados à unidade.

Do G1 PI
Situação da penitenciária de Picos após rebelião (Foto: Divulgação/Sinpoljuspi)

Cerca de 50 homens conseguiram controlar antes do início da madrugada desta quinta-feira (3) a rebelião na Penitenciária José de Deus Barros, em Picos a 310 km ao Sul de Teresina. A confusão no presídio durou mais de 10 horas, segundo a PM e começou após a morte de dois presos no início da tarde de quarta-feira (2). A Secretaria Estadual de Justiça disse que a confusão só teve início às 18h30.

A exemplo de outras unidades prisionais no estado, a penitenciária de Picos também está superlotada, com presos além do dobro da sua capacidade. Com espaço para 158, há atualmente 389 detentos.

Segundo o major Edwaldo Viana, comandante do 4° Batalhão da Polícia Militar, a rivalidade entre facções teria sido o motivo para os dois homicídios. Os dois detentos foram assassinados durante o banho de sol, por volta das 13h. A Secretaria Estadual de Justiça (Sejus) está investigando as mortes.

"Um preso furou o outro durante o banho de sol. Um dos agentes penitenciários viu e deu um tiro de borracha para tentar impedir a morte, só que o tiro pegou em uma região delicada e tanto o que foi furado quanto o que foi baleado morreram ainda no presídio. Toda essa confusão é devido a rivalidade entre facções", contou.


Conforme dados do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), com os dois homicídios desta quarta-feira em Picos, já são 16 mortes violentas em presídios somente este ano. Já segundo a Sejus

De acordo com a Sejus, para controlar a situação, 40 policiais militares foram enviados ao local, bem como o Comando de Operações Prisionais e agentes penitenciários de outros presídios da região, para dar suporte.

“O presídio está em ordem, no momento. Todos os presos estão nas celas e não houve feridos durante a rebelião”, explica o diretor adjunto da Penitenciária de Picos, Hemerson Barbosa.

A equipe de Engenharia do órgão também foi deslocada para a Penitenciária de Picos, para fazer o apanhado da situação estrutural e iniciar os reparos na estrutura que foi danificada durante a rebelião. A unidade presional de Picos possui quatro pavilhões e, segundo a Secretaria de Justiça, o governo planeja construir um novo presídio no município.

Rebeliões em outros presídios
Outro presídio que já foi palco de rebelião no estado é a Casa de Custódia. Em julho, um detento morreu após uma fuga seguida de rebelião. Presos atearam fogo em colchões e quebraram cadeados e grades na unidade.

No mesmo mês, o corpo de um detento foi encontrado dentro de uma cela da Casa de Custódia de Teresina. A vítima estava enterrada embaixo de escombros, apenas com o pé do lado de fora e teria sido morta a pedradas, facadas e espancado pelos detentos do pavilhão.

No dia 22 de maio, pelo menos 30 detentos tentaram fugir da unidade cavando um túnel de aproximadamente 30 metros. Mais de cinco tentativas de fuga já foram registradas esse ano no presídio.

A Casa de Custódia tem capacidade para apenas 330 detentos e é uma das unidades com a maior população carcerária do estado, com mais de 980 presos, ou seja, quase o triplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...