terça-feira, 29 de novembro de 2016

TRAGÉDIA AVIÃO COM A CHAPECOENSE CAI NA COLÔMBIA: 75 mortos e 6 sobreviventes

Queda de aeronave deixou mortos, disse prefeito de Medellín. Avião decolou de Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) com 81 pessoas a bordo
O
avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29), informam autoridades colombianas.

O prefeito Frederico Gutierrez e as autoridades policiais disseram que o acidente matou 76 pessoas e 5 sobreviveram. O avião da Lamia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e 9 tripulantes.
Quatro jogadores sobreviveram. São eles o goleiro Jackson Follmann, o lateral esquerdo Alan Ruschel e o zaguiero Neto (o goleiro Danilo chegou vivo ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu). Um jornalista, Rafael Henzel, de Santa Catarina, uma aeromoça, Ximena Suarez, o técnico Erwin Tumiri, também foram resgatados com vida. No total, 19 jogadores e 21 jornalistas morreram, entre estes o comentarista esportivo Mário Sérgio, ex-jogador do Botafogo, São Paulo e Seleção Brasileira, e ex-técnico. Morreu também o técnico Caio Júnior.

Profissionais de imprensa que morreram:
Guilherme Marques, da Globo
Ari de Araújo Jr., da Globo
Guilherme Laars, da Globo
Giovane Klein Victória, da RBS
Bruno Mauri da Silva, da RBS
Djalma Araújo Neto, da RBS
André Podiacki, da RBS
Laion Espíndola, do Globo Esporte
Victorino Chermont, da Fox
Rodrigo Santana Gonçalves, da Fox
Deva Pascovicci (Devair Paschoalon), da Fox
Lilacio Pereira Jr., da Fox
Paulo Clement, da Fox
Mário Sérgio, da Fox
Renan Agnolin, Rádio FM
Fernando Schardong, Rádio AM
Edson Ebeliny, Rádio AM
Gelson Galiotto, Rádio AM
Douglas Dorneles, Rádio AM
Jacir Biavatti, Rádio FM
Ivan Agnoletto, Rádio AM
Segundo a imprensa local, a aeronave com o time catarinense perdeu contato com a torre de controle às 22h15 (local, 1h15 de Brasília) e caiu ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdova, em Rionegro, perto de Medellín.

O avião não chegou a explodiu. O piloto percebeu a pane elétrica e descarregou todo o combustível. A aerovane se partiu em três pedaços.

Todos os jogadores e a comissão técnica da Chapecoense posaram para foto à frente do avião, antes de embarcar na Bolívia rumo a Medellín

Os jogadores da equipe de Santa Catarina são os goleiros Danilo e Follmann; os laterais Gimenez, Dener, Alan Ruschel e Caramelo; os zagueiros: Marcelo, Filipe Machado, Thiego e Neto; os volantes: Josimar, Gil, Sérgio Manoel e Matheus Biteco; os meias Cleber Santana e Arthur Maia; e os atacantes: Kempes, Ananias, Lucas Gomes, Tiaguinho, Bruno Rangel e Canela.

O Comitê de Operação de Emergência (COE) e a gerência do aeroporto informaram que a aeronave se declarou em emergência por falha técnica às 22h (local) entre Ceja e Lá Unión. Anteriormente, a imprensa colombiana informou possível falta de combustível como causa do acidente. Mas a mídia local informou que o piloto despejou combustível após perceber que o avião iria cair.

Segundo a rede de “TV Caracol”, a aeronave sobrevoava as cidades de La Ceja e Abejorral quando sumiu do radar.

Uma operação de emergência foi ativada para atender ao acidente. A Força Aérea Colombiana dispôs helicópteros para ajudar em trabalhos de resgate, mas missões de voos foram abortadas nesta madrugada por causa das condições climáticas. Choveu muito na região na noite de segunda, o que reduziu muito a visibilidade.

Equipes chegaram ao local do acidente por terra, mas o acesso à região montanhosa é difícil e a remoção é lenta.
O time da Chapecoense embarcou para a Colômbia na noite de segunda (28), para disputar a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, na quarta (30). Inicialmente, a delegação embarcou em um voo comercial de São Paulo até a Bolívia. Lá, o grupo pegou um voo da Lamia.

Em seu perfil no Twitter, o Atlético Nacional lamentou o acidente e prestou solidariendade a Chapecoense: "Nacional lamenta profundamente e se solidariza com @chapecoensereal por acidente ocorrido e espera informação das autoridades".
A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) já informou que cancelou a primeiro jogo da decisão, marcado para esta quarta.

9 acidentes aéreos que marcaram times e seleções de futebol

O avião que levava jogadores do time chileno de futebol Green Cross foi encontrado depois de quase 54 anos, na Cordilheira dos Andes. No acidente, oito jogadores da equipe morreram.

Confira o número de tragédias:

4/5/1949 – Torino
O avião Fiat G.212 da Avio Linee Italiane retornava de Lisboa para Turim após um amistoso do Torino contra o Benfica. O acidente ocorreu durante a aproximação e a aeronave se chocou contra a Basilica de Superga. Ao todo, 31 pessoas morreram, sendo 18 jogadores e cinco membros da comissão técnica. Na época, o Torino liderava o Campeonato Italiano a quatro rodadas para o fim e seria o campeão.

6/2/1958 – Manchester United
O ‘Desastre de Munique’ ocorreu quando o avião Airspeed AS-57 Ambassador da British European Airways tentava decolar do aeroporto de Munique para Manchester. Ao todo, 44 pessoas estavam a bordo e 20 morreram. Entre eles, oito jogadores do Manchester United, que voltavam da Iugoslávia após jogo contra o Estrela Vermelha pela Copa da Europa.

16/7/1960 – Seleção olímpica da Dinamarca
Após a decolagem do aeroporto de Copenhague, o avião De Havilland Dragon Rapide fretada pela Associação Dinamarquesa de Futebol caiu sobre Oresund. Somente o piloto sobreviveu e oito pessoas morreram, todos jogadores da seleção olímpica que se dirigia para a disputada dos Jogos na Itália.

3/4/1961 – Green Cross
O time chileno do Green Cross voltava de um jogo contra o Provincial Osorno, em Osorno, pela copa do Brasil, quando o Douglas DC-3 da LAN se chocou contra a Cordilheira dos Andes no caminho para Santiago. No acidente, 24 pessoas morreram, sendo oito jogadores, o técnico e o fisioterapeuta. O local do desastre só foi descoberto em 2015.
26/9/1969 – The Strongest
Durante o retorno da delegação do The Strongest de Santa Cruz de La Sierra (foto) para La Paz, na Bolívia, o Douglas DC-6 do Lloyd Aéreo Boliviano desapareceu. Só foi encontrado no dia seguinte na região de Viloco. Todas as 74 pessoas a bordo morreram. Entre elas, 16 jogadores do clube boliviano e integrantes da comissão técnica.

11/8/1979 – Pakhtakor Tashkent
O avião Tupolev Tu-134 da Aeroflot levava a equipe uzbeque do Pakhtakor Tashkent para Minsk, onde enfrentaria o Dinamo Minsk. Enquanto sobrevoava a Ucrânia, a aeronave chocou-se com outro Tupolev Tu-134 da Aeroflot. Todas as 178 pessoas a bordo dos dois aviões morreram, incluindo 14 jogadores e três membros da comissão técnica.

8/12/1987 – Alianza Lima
O Fokker F27 da Servicio Aeronaval de La Marina del Peru (vôo fretado) voltava de Pucallpa para Lima e durante a aproximação para o aeroporto Jorge Chávez caiu no Oceano Pacífico. Somente o piloto sobreviveu e 43 pessoas morreram. Entre elas 16 jogadores do Alianza Lima e todo o staff da equipe.

7/6/1989 – Colorful 11
Um grupo de jogadores descendentes de surinameses que atuavam da Holanda formaram um time, o Colorful 11, para participar de um amistoso no Suriname contra o SV Robinhood. O DC-8 da Surinam Airways fazia a rota desde Amsterdam e caiu durante a aproximação para o aeroporto de Paramaribo. Dos 178 a bordo, 11 sobreviveram, incluindo três jogadores. No entanto, 15 outros morreram. Alguns atletas não conseguiram autorização dos clubes para a viagem e escaparam, como Ruud Gullit e Frank Rijkaard.
27/4/1993 – Seleção da Zâmbia
O avião De Havilland DHC-5D da Força Aérea da Zâmbia levava a seleção (foto) do país para um jogo das Eliminatórias para a Copa de 1994 contra o Senegal, em Dakar. A aeronave, entretanto, caiu na costa do Gabão. Todos as 30 pessoas a bordo morreram, entre eles 18 jogadores de Zâmbia e membros da comissão técnica.

Por muito pouco o time do Corinthians não entra para a lista acima. Em 1 de maio de 1996, a equipe que havia vencido o Espoli por 3 a 1 pela Libertadores, voltava para o Brasil. O Boeing 727 da Fly não conseguiu decolar do aeroporto de Quito e se chocou contra o muro no limite do campo. O trem de pouso e a asa direita pegaram fogo. Todos a bordo saíram às pressas. Entre os 90 passageiros, alguns saíram feridos, como o meia Tupãzinho com queimadura na perna esquerda, além do goleiro Nei e do zagueiro Alexandre Lopes
.
Fonte: JL/Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...