quarta-feira, 26 de abril de 2017

PROTESTO Greve geral: categorias que já confirmaram adesão ao ato desta sexta

O principal alvo do protesto nacional são as reformas da Previdência e trabalhista propostas pelo governo do Temer
 
 
"A
classe trabalhadora não pode permitir que os direitos arduamente conquistados, com intensa participação democrática, sejam retirados". As palavras são do arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, sobre a greve geral, convocada pelas centrais sindicais e as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, nesta sexta-feira (28).
O principal alvo do protesto nacional são as reformas da Previdência e trabalhista propostas pelo governo de Michel Temer. Bancos, metrôs, transportes coletivos, escolas particulares, aeroportos. Há categorias que já confirmaram que cruzarão os braços. Outras prometeram divulgar resolução até esta quinta-feira (27), após assembleias. Confira abaixo como está a adesão dos principais serviços em algumas cidades, até esta quarta-feira (26), conforme listado pelo Uol.
São Paulo
O metrô de São Paulo estará parado, impactando os os 3,7 milhões de usuários em dias úteis. A exceção será a Linha -4-Amarela, cuja administração é da ViaQuatro. Os metroviários de São Paulo estão em estado de greve e decidiram não trabalhar nesta sexta-feira, mas uma nova assembleia está marcada para esta quinta-feira (27), às 18h30.
Os trens também. Os três sindicados dos ferroviários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) confirmaram que vão estar parados. Não deverão circular as linhas 7-Rubi, 8-Diamante, 9-Esmeralda, 10-Turquesa, 11-Coral (Luz-Estudantes) e 12-Safira (Brás-Calmon Viana). São 2,25 milhões de usuários por dia. Os motoristas de coletivos urbanos decidirão ainda nesta quarta-feira (26).
Os bancários também estarão de braços cruzados. Assim como professores da rede privada de ensino. O aeroporto de Guarulhos também deve ter as atividades interrompidas a partir da 0h. Apenas 30% dos funcionários estarão trabalhando para cumprir a legislação.
Rio de Janeiro
O transporte coletivo urbano do Rio de Janeiro vai parar. Esta foi a decisão de motoristas, cobradores e fiscais. A decisão impacta ônibus, BRT, VLT e transporte escolar fretado. Na capital fluminese, os bancos também ficarão fechados, assim como fóruns. Os servidores do Poder Judiciário também disseram sim à greve geral. As escolas privadas também não funcionarão, já que professores aderiram.
Os metroviários têm assembleia marcada para esta quarta-feira (26), às 18h, na sede do Simerj (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Metroviário, de Veículos Leves Sobre Trilhos e Monotrilhos do Estado do Rio de Janeiro). Os funcionários dos Correios também decidem logo mais.
Belo Horizonte
Os motoristas de ônibus e rodoviários decidiram parar, deixando na garagem cerca de 3.2 mil coletivos. Os bancários também cruzarão os braços. Professores e metroviários ainda têm assembleias marcadas.
Brasília
Na capital federal, não devem circular transportes coletivos nesta sexta-feira (28). Assim como os metroviários e os bancários.
Recife
Como em Brasília, trabalhadores bancários, metroviários e rodoviários da região metropolitana do Recife confirmaram adesão à greve geral.
Fonte: JL/Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...