quarta-feira, 19 de abril de 2017

Tiririca escreveu carta de repúdio a políticos na lista da Odebrecht pedindo limpeza geral em 2018? Não é verdade!

Carta tem viralizado nas redes sociais. Assessoria do deputado nega que ele seja o autor da publicação.



Uma carta atribuída ao deputado federal Tiririca (PR-SP) com crítica aos políticos envolvidos nas delações da Lava Jato e pedindo uma limpeza geral em 2018 viralizou no Whatsapp e no Facebook. Mas ela é falsa.


O texto diz que o deputado surpreendeu o meio político com as declarações. No início, ele diz: "Quem escreve aqui não é o palhaço nem o deputado. Quem escreve aqui é o cidadão que está frustrado com tudo isso que virou o país".
De acordo com a assessoria de imprensa do deputado, a carta não é verdadeira. "Ele não fez nenhuma declaração [sobre a divulgação da lista de Fachin]. Uma outra vez já fizeram uma carta e também atribuíram a ele. E ela também era falsa", diz a assessora de Tiririca.


No início de abril, uma notícia falsa atribuiu a Tiririca uma mensagem em que ele fazia um desabafo sobre os gastos com os gabinetes parlamentares, apresentando números exagerados. O parlamentar desmentiu a notícia.


Nascido em Itapipoca, no Ceará, o humorista Francisco Everardo Oliveira, o Tiririca, de 52 anos, foi eleito deputado federal por São Paulo em 2011. Ele foi reeleito em 2015 para um novo mandato até 2019 e integra a bancada do Partido da República.
Notícia falsa sobre Tiririca na internet (Foto: Reprodução)



Veja a mensagem que vem viralizando nas redes sociais:


"O deputado federal Francisco Everardo, mais conhecido como Tiririca, surpreendeu o meio político com uma carta emocionante e emocionada em que revela sua frustração com o meio político. A carta 'Amigos e Amigas deste Brasil de meu Deus'. "Quem escreve aqui não é o palhaço nem o deputado. Quem escreve aqui é o cidadão que está frustrado com tudo isso que virou o país. Como todos sabem eu fiz a minha vida no circo. No circo vivi muitos dias de fome. Dias em que a bilheteria não rendia nem o dinheiro do pão. Dias em que subi ao picadeiro com fome e doente. Houve um dia em que a bilheteria rendeu apenas R$ 32. Éramos um grupo de 41 profissionais. A partilha daria menos de R$ 1 por pessoa. Só que em nosso grupo tínhamos uma companheira doente. Pedi ao grupo que doasse todo o cachê para esta trapezista que precisava de comprar um remédio controlado, que na época custava quase R$ 50. O dono da farmácia compreendeu e deixou que pagássemos o resto quando tivéssemos dinheiro. E assim foi. Honramos nossa dívida e pagamos com o suor de nosso trabalho. Isso é o circo. Lugar que a gente aprende a dividir e se doar. Na política a cada dia vejo que não é assim. Cada um quer tirar pra si. Quanto mais melhor. Não importa quantas pessoas morram de fome ou nos corredores de hospitais. O importante é se eleger na próxima eleição e garantir a boa vida de sua família. O problema não é da Esquerda nem da Direita. A lista da Odebrecht mostrou que tem ladrão dos dois lados. O que está faltando nos políticos não é ideologia, é decência. Está faltando pra esta cambada é entender que eles estão lá pra servir ao povo, e não pra se servir do dinheiro do povo. Infelizmente até muita gente que se elege em nome de Deus chega lá dentro e faz pacto com a ladroagem e a bandidagem. Peço ao Brasil que ore para o Senhor ter compaixão do juiz Sergio Moro e o proteja de todo o mal. Este homem tem que prender todos os bandidos que roubaram a Petrobrás, o BNDES, a Previdência e a esperança dos brasileiros. Um dia minha mãezinha me disse: 'Filho, os injustos não herdarão o reino de Deus. Eu preciso ter você comigo na eternidade. Faça o que quiser de sua vida mas lembre-se que eu preciso de você comigo no Céu'. Por Deus, por minha mãezinha e pelo povo brasileiro eu sou o mais honesto possível. Só não estou conseguindo 'amar o próximo', a minha vontade é esganar estes canalhas. Mas 2018 está bem perto. O povo precisa fazer uma limpeza geral da classe política. Não adianta a Justiça condenar se o povo absolve. Fiquem com Deus!!!"
Trecho de mensagem com carta atribuída a Tiririca (Foto: Reproudção/ Whatsapp)


É ou não é?’, seção de fact-checking (checagem de fatos) do G1, tem como objetivo conferir os discursos de políticos e outras personalidades públicas e atestar a veracidade de notícias e informações espalhadas pelas redes sociais e pela web. Sugestões podem ser enviadas pelo VC no G1, pelo Fale Conosco ou pelo Whatsapp/Viber, no telefone (11) 94200-4444, com a hashtag #eounaoe (caso prefira, a hashtag pode ser enviada logo após a mensagem também!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...