quarta-feira, 19 de abril de 2017

Vereador de Itajaí é condenado por imagem de relação sexual com adolescente em 2011

Político, filiado ao PSDB, afirma que namorava ex-aluna de 17 anos em 2011 com o consentimento dos pais dela.

Por G1 SC

Vereador de Itajaí foi condenado em primeira instância a sete anos



O vereador José Acácio da Rocha (PSDB), o Professor Acácio, de Itajaí, foi condenado em primeira instância a sete anos de prisão em regime semiaberto. Conforme a RBS TV, ele teria divulgado imagem de relação sexual com uma adolescente, que já havia sido aluna dele. A denúncia foi feita pelo Ministério Público em 2011. Na época, segundo a defesa do vereador, hoje com 45 anos, a adolescente tinha 17 anos.


O advogado do vereador, Claudinei Fernandes, afirmou que a defesa não reconhece os delitos apontados e que vai recorrer. A divulgação de um vídeo é contestada pelo advogado. Em nota, o vereador afirma que "era alguém solteiro e namorava uma adolescente com o consentimento dos pais em uma relação pública".


De acordo com o Ministério Público, a condenação ocorreu no dia 27 de março e ainda não foi publicada. O caso corre em segredo de Justiça. Na época, Acácio dava aulas de educação física.




Partido pediu para ele se licenciar




Conforme a RBS TV, pela lei orgânica de Itajaí não há impedimento para que ele continue cumprindo o mandato de vereador, mas a pedido do partido em Itajaí, José Acácio deverá pedir licença das atividades partidárias e mandato pra apresentar os recursos.


"Por unanimidade dos presentes, a Comissão provisória deliberou pela recomendação de licença temporária das atividades partidárias e do mandato de vereador, de modo que as informações oficiais possam ser obtidas de forma mais clara e justa", diz nota assinada pelo presidente do PSDB de Itajaí, Cícero Zucco. O advogado dele não confirmou a informação.




Leia íntegra da nota divulgada pelo vereador




"Sempre me pautei na vida pessoal e profissional pela personalidade forte e principalmente por assumir minhas responsabilidades, razão que me levou a chegar aonde cheguei.


Assim, desde que fui confrontado com o que ocorreu, mantive a verdade tanto na via judicial como extra judicial, ou seja, era alguém solteiro e namorava uma adolescente com o consentimento dos pais em uma relação pública.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...