quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Acordo de Maia com o PSL incomoda esquerda e surpreende 'Centrão'

Presidente da Câmara garante que o acordo é com a sigla, não com o governo
 
O
deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) criou mal estar com pelo menos dois partidos ao fechar acordo de reeleição para a presidência da Casa com o PSL. De acordo com a coluna 'Painel', do jornal 'Folha de S. Paulo', Maia ignorou pleitos do PP e do MDB. As duas siglas afirmam que vão esperar para ver se a nova estrutura de apoio a Maia se mantém até a eleição, que acontece em fevereiro.
O acordo com o PSL também acirrou divisões no partido. O ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni, por exemplo, se irritou e deixou claro que não atuou nessa direção. Também há membros da legenda que afirmam que a aliança com Maia pode manchar a imagem do PSL.
Contudo, a manobra é justificada pelo risco de o partido ficar isolado e sem espaços na Mesa Diretora após a tentativa de criar um bloco de oposição ao democrata com PP, MDB, PSD e PTB falhar.
As negociações do PSL com Maia também geraram desconforto na esquerda. Para membros do PC do B, o democrata agora precisa de integrantes do PT no bloco, ou será visto como governista.
Já o Partido dos Trabalhadores está lançando uma candidatura de oposição. O PSOL deve apresentar o nome de Marcelo Freixo (RJ), adversário de Bolsonaro no Rio.
Ao jornal, Maia disse que o acordo é com a sigla, não com o governo. Segundo ele, o objetivo é garantir um espaço aos partidos que compõem a Casa. Ele garantiu que ainda não encerrou as conversas com outros grupos.
O presidente da Câmara também afirmou que deixou claro à direção do PSL que trabalharia para trazer o PT para o seu bloco de apoio.
 
Fonte: JL/Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Justiça determina que ações de campanha eleitoral que favoreçam aglomerações devem ser evitadas

  Justiça determina que ações de campanha eleitoral que favoreçam aglomerações devem ser evitadas  Estão proibidos os atos de camp...