terça-feira, 19 de março de 2019

Mundo Governo chileno indica ‘vestido curto’ a mulheres em almoço com Bolsonaro

Deputada acusa governo de Piñera de machismo por convite; responsável diz que termo não significa 'minissaia', mas sim que traje não deve ser de gala
Por Diego Freire
Da esquerda para a direita: a deputada Maite Pascal, Jair Bolsonaro e Sebastián Piñera (Bernd von Jutrczenka/picture alliance/ Getty Image/Reprodução)

O governo chileno indicou “vestido curto” como traje ideal para mulheres que participarão de um almoço oficial com o Jair Bolsonaro, agendado para o próximo sábado, 23 de março. O convite se tornou público após postagem no Twitter da deputada Maite Orsini Pascal, que criticou o presidente Sebastián Piñera por conduta machista. Organizadores do evento e outros parlamentares alegam que o termo foi mal interpretado.

No sólo el Gob. decide recibir con honores a presidente xenófobo y machista, sino q, además pide q las diputadas de la rep. q somos invitadas vayamos c/ "vestido corto". Este es el @sebastianpinera q dice acoger demandas feministas pero envía invitación oficial q sigue en el 1800 pic.twitter.com/3EzuFjmpU0

Bolsonaro visitará o Chile no final da semana, após encerrar passagem pelos Estados Unidos. Na convocação a parlamentares do país para um almoço com o chefe de Estado brasileiro, o código de vestimenta indica: “homens: terno escuro ou roupa equivalente; mulheres: vestido curto”. O convite é assinado pelo presidente chileno, Sebastián Piñera, e a primeira-dama, Cecilia Morel.

Segundo o Diretor-Geral de protocolo do ministério de Relações Exteriores do Chile, Frank Tressler, o texto não pede que mulheres vistam roupas curtas, mas sim que não se exige traje de gala.

“Há uma má interpretação, o convite aponta que não é necessário traje de gala”, declarou Tressler ao jornal local La Tercera, após repercussão negativa no país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...