quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Ministro recebe homenagem no Piauí e defende que se esqueça críticas de Bolsonaro

Roberta Aline/Cidadeverde.com
Roberta Aline/Cidadeverde.com
 
Roberta Aline/Cidadeverde.com

 
Roberta Aline/Cidadeverde.com
 
Roberta Aline/Cidadeverde.com
 
Roberta Aline/Cidadeverde.com
 
Roberta Aline/Cidadeverde.com
 
Roberta Aline/Cidadeverde.com
 
 Roberta Aline/Cidadeverde.com
 
Roberta Aline/Cidadeverde.com

Bem vindo ao Player Audima. Clique TAB para navegar entre os botões, ou aperte CONTROL PONTO para dar PLAY. CONTROL PONTO E VÍRGULA ou BARRA para avançar. CONTROL VÍRGULA para retroceder. ALT PONTO E VÍRGULA ou BARRA para acelerar a velocidade de leitura. ALT VÍRGULA para desacelerar a velocidade de leitura. Ouça: Ministro recebe homenagem no Piauí e defende que se esqueça críticas de Bolsonaro 0:00 100% Audima


O ministro do Superior Tribunal Justiça (STJ), Paulo Dias de Moura, foi homenageado pelo judiciário do Piaui nesta quinta-feira (31). Ele recebeu a comenda do Colar do Mérito Judiciário, que é a principal homenagem concedida pelo judiciário piauiense. A solenidade aconteceu no Tribunal de Justiça do Piauí (TJ).

Durante homenagem, o ministro lembrou que tem raízes no Piauí, seu bisavô nasceu em Parnaíba. Ele se disse emocionado.

"Em concurso público tomei posse em 1983. E nunca pensei que depois do concurso pudesse ficar emocionado. Estou muito emocionado. Meu bisavô nasceu na Parnaíba. Nunca estive no Piauí. A emoção é muito grande. É uma coisa inexplicável", afirmou o ministro.

Paulo Dias recebe ainda o título de cidadão piauiense concedido pela Assembleia Legislativa do Estado.

"Fico ainda mais emocionafo de me encontrar aqui com colegas de tribunal. A magistratura que pertenso é a magistratura do estado de São Paulo. Receber o titulo na terra do meu bisavô me emociona muito. Pretendo retribuir com a obrigação, vínculo e gratidão. Pretendo me irmanar com o povo do Piauí", destacou.

Relação com o Executivo

O ministro evitou polemizar sobre a relação tensa vivida entre o STF e o presidente da República, Jair Bolsonaro. Em suas redes sociais, o presidente chegou a se comparar a um leão cercado por hienas. Os ministros do STF foram comparados a hienas.

Segundo ele, é preciso passar "um pano" e esquecer o episódio. "O judiciário é sempre o fiel da balança, não participa dessas coisas. O judiciario vê e quando tem que decidir decide. Há 36 anos sou do judiciário. Essas crítica parecem que foram superadas. Passou-se um pano sobre isso", disse.

Com relação a CPI da Lava Toga, o ministro diz não temer a proposta.

"Eu não tenho nenhum receio da Lava Toga. A minha toga é limpa há 36 anos. Alguns deslizes ocorrem em todas as profissões. Mas o Judiciário não se afetará", afirmou.

Durante a homenagem, o vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 1° Região (TRF-1), Kássio Nunes Marques, assinou termo de cooperação pela integração do Tribunal à rede de Governança Colaborativa do Judiciário do Piauí.

"O termo para reciprocidade de boas práticas tanto no Tribunal Federal como no estadual. Também viemos acompanhar a homenagem ao ministro Paulo Dias. Ele abrilhanta aquela Corte. As parcerias são bem-vindas. A justiça estadual é diferenciada. É do cidadão, do dia-a-dia. A nossa Justiça, nos outros países é considerda justiça administrativa, envolve matérias completamente diferentes do que se julga aqui. São crimes federais, tráfico internacional, toda regulamentação de direito econômico. Acho que as juridições sendo diferentes, as práticas também são diferentes e o intercâmbio é positivo", declarou.



Lídia Brito
lidiabrito@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...