terça-feira, 5 de novembro de 2019

Caso Marielle: a promotora certa saiu. O juiz errado ficou

Saída de promotora foi criticada por família de Marielle Franco e Anderson Gomes

Carmen foi elogiada por familiares das vítimas

Carmen foi elogiada por familiares das vítimas

Reprodução/Twitter
Por ter usado uma camiseta com o rosto do candidato Bolsonaro, a promotora Carmen Bastos, do Ministério Público do Rio de Janeiro, teve de afastar-se do caso Marielle. O desfecho das pressões de políticos do PT, do PSOL e do PCdoB foi criticado pelos pais da vereadora assassinada e pela viúva do motorista Anderson Gomes, também executado a tiros. Os três afirmaram que Carmen vinha fazendo um trabalho exemplar e tivera participação decisiva na identificação dos matadores.
Por ter sido advogado do PT, assessor jurídico de José Dirceu e chefe da Advocacia-Geral da União no governo Lula, José Antonio Dias Toffoli virou ministro do Supremo Tribunal Federal. Duas vezes reprovado no concurso de ingresso na magistratura paulista, Toffoli hoje é presidente da corte e pretende livrar o chefão da cadeia com o fim da prisão de condenados em 2ª instância.
Os parentes da bandidagem VIP estão muito satisfeitos com o juiz do Supremo que não conseguiu ser juiz de qualquer comarca paulista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...