quarta-feira, 13 de maio de 2020

Georgiano Neto defende reabertura gradual do comércio no Piauí
De acordo com o parlamentar, as medidas implementadas em Campo Grande pelo prefeito Maquinhos Trad tiveram sucesso e o mesmo poderia ser adotado no Piauí.

Em entrevista ao GP1 nesta quarta-feira (13), o deputado estadual Georgiano Neto (PSD) disse ser favorável as medidas adotadas em cidades como Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, que vem seguindo na contramão das demais capitais brasileiras e já liberou funcionamento das atividades comerciais, tomando os devidos cuidados para evitar a propagação do coronavírus (covid-19).

De acordo com o parlamentar, as medidas do plano de segurança do prefeito Maquinhos Trad, que está permitindo a reabertura das atividades locais em Campo Grande, tiveram sucesso. Ele afirmou que no Piauí algumas ações semelhantes estão em processamento para serem adotadas.

“Vendo o caso de Campo Grande no Mato Grosso do Sul, realmente são medidas importantes que foram tomadas, que mostram a eficácia, a eficiência nessas ações de combate e prevenção ao coronavírus”, disse.
Foto: Lucas Dias/GP1

Georgiano Neto, Deputado Estadual
Para o deputado, a expectativa é de que em breve o Piauí possa permitir o retorno gradual das atividades econômicas. “Aqui no estado do Piauí algumas dessas medidas já foram tomadas ou estão em processamento para serem adotadas o mais rápido possível e a expectativa é que tenhamos condições de também ao longo dos próximos dias ter algo semelhante a isso, ter a abertura gradual nas atividades comerciais e outros setores também respeitando a quarentena para combater o coronavírus”, reforçou.

Ainda conforme Georgiano, o Governo do Estado talvez deva iniciar um diálogo positivo sobre a reabertura do comércio. “Eu acredito que até o dia 21 de maio o Governo do Estado deve estar estudando meios de buscar uma reabertura gradual do comércio no Piauí e também em Teresina consequentemente”, ressaltou.
Foto: Lucas Dias/GP1
Deputado Estadual Georgiano Neto

Medidas realizadas em Campo Grande

O comércio voltou a funcionar gradualmente desde o mês passado, no dia 06 de abril. Já os shoppings centers retornaram às atividades no dia 20 de abril.

Reflexo nos índices da doença na capital Campo Grande

Segundo boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande, a capital tinha 90 casos confirmados de covid-19 em 20 de abril. Até esta quarta-feira, 13 de maio, foram confirmados 159 casos na capital e quatro óbitos. Conforme a secretaria, 23 dias após o retorno das atividades comerciais nos shoppings, a capital registrou apenas um óbito pela doença.

Com o comércio fechado e decretos de isolamento social vigentes desde o dia 22 de março, Teresina já registra 937 casos e 26 mortes, segundo dados divulgados na manhã desta quarta-feira (13) pela Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Reflexo nos índices da covid-19 no estado do Mato Grosso do Sul

No estado de Mato Grosso do Sul, conforme dados da Secretaria Estadual de Saúde, foram registrados, até esta quarta-feira (13), 405 casos e 12 óbitos.

No Piauí, onde o comércio permanece fechado, por meio de decretos estaduais e municipais, já foram registrados 1.612 casos confirmados e 57 mortes pela doença, segundos dados da Secretaria de Estado de Saúde (Sesapi).

Medidas de prevenção em Campo Grande

Para a reabertura das atividades os estabelecimentos comerciais estão atendendo várias medidas sanitárias em Campo Grande. Cada atividade foi avaliada, classificada e ranqueada com base em uma pontuação que determinou como cada um irá atuar. Apesar da liberação, a prefeitura também recomendou que o comércio e o setor de serviços restrinjam o horário de funcionamento das 9h às 16h30. Deve haver ainda controle de acesso às lojas para evitar aglomerações e os clientes não poderão provar peças de vestuário.

Em cada estabelecimento estão sendo analisados aspectos relacionados a: operação sem compartilhamento de objetos, dormitórios, alimentos e bebidas; possibilidade de desinfecção de superfícies; distância social de no mínimo 1,5m e/ou capacidade de limitar a lotação em 1 pessoa a cada 10m²; operação sem atendimento ao público; e possibilidade de trabalhar em regime de home-office e/ou teletrabalho para entrega.

São consideradas atividades com maior pontuação, no valor máximo de 5, aquelas que possuem condições de biossegurança mais facilmente aplicáveis ao seu desempenho e execução.

Importante salientar, que em todos os estabelecimentos são exigidas a adoção de medidas tais como uso de máscara, utilização de álcool gel e distanciamento mínimo.

Comércio

O comércio voltou a funcionar gradualmente desde 06 de abril, seguindo várias medidas sanitárias de prevenção como utilização de máscaras, respeitar distanciamento entre clientes e disponibilização de álcool gel, sendo necessária a higienização de máquinas de cartão após cada uso.

Shoppings centers

Os shoppings centers já estão em pleno funcionamento na cidade desde o dia 20 de abril. Eles haviam sido fechados no dia 19 de março e foram reabertos após a apresentação de um plano de biossegurança.

 A cidade de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, vem seguindo na contramão das demais capitais brasileiras e já liberou funcionamento das atividades comerciais, tomando os devidos cuidados para evitar a propagação do coronavírus (covid-19). O GP1 fez um levantamento junto ao Portal da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande, sobre como têm sido implementadas as medidas na cidade e verificou que mesmo após a reabertura do comércio, o município registrou quatro óbitos pela doença. O plano de segurança do prefeito Maquinhos Trad foi bem sucedido está permitindo a reabertura das atividades locais, sem prejudicar o desenvolvimento econômico da capital durante a pandemia da covid-19. O comércio começou a funcionar gradualmente desde 06 de abril. Já os shoppings centers retornaram às atividades no dia 20 de abril. 
#PortalGP1 #GP1 #Covid19 #CoronavirusPosted by GP1 - O 1º Grande Portal de Notícias do Piauí on Wednesday, May 13, 2020

Clubes e lazer

No dia 23 de abril, os principais clubes de atividades sociais, recreativas e esportivas, foram autorizados a reabrir suas sedes para os sócios e convidados, obedecendo regras de segurança, como o controle de acesso, reforço da higienização e vedação de atividades recreativas. A lotação foi limitada a 30% da capacidade e continuaram proibidas atividades recreativas e competições esportivas, especialmente futebol.

Terminal rodoviário

O terminal rodoviário da cidade também voltou a funcionar no dia 25 de abril, após apresentar um plano de contenção, aprovado pela Comissão Municipal de Enfrentamento à Covid-19. Para reabrir os portões, as viações e a administração precisam cumprir várias regras de biossegurança, inclusive, reduzindo pela metade o número de passageiros em cada veículo, respeitando distanciamento dentro dos ônibus, pulando fileira de poltrona e permitindo apenas que parentes fiquem próximos.

Bares e restaurantes

A última medida implementada pelo prefeito Marcos Trad foi o aumento da capacidade de atendimento dos comércios varejistas e atacadistas, bem como de bares e restaurantes. Desde o último sábado (09), tais estabelecimentos ficaram autorizados a dobrar o fluxo de clientes, de 30% para 60%, com distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas e mesas (no caso de restaurantes e bares) organizadas com dois metros de distância.

A Prefeitura de Campo Grande, por meio do Decreto n. 14.285, de 7 de maio de 2020, também passou a permitir a execução de música ao vivo na modalidade “voz e violão” em bares e restaurantes, desde que a apresentação seja individual e sem amplificação de som, respeitando-se as regras de distanciamento estabelecidas.

O que ainda é proibido?

Continua proibida a circulação e o ingresso, no território do município de Campo Grande, de veículos de transporte coletivo interestadual, público e privado, de passageiros.
Edição: Tropical Noticias
Fonte GP1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem pagou a internação de um assessor do governador? Diária de R$ 5,4 mil...

Saúde PARA POUCOS O Hospital Sirio-Libanês em São Paulo exige depósito antecipado de R$ 350 mil para UTI: poucos conseguem acesso...