terça-feira, 13 de setembro de 2022

Moraes se irrita com "apuração paralela" e desmarca reunião com Defesa

Presidente do TSE foi pego de surpresa com alegação de que os militares pretendiam comparar dados de 385 boletins de urna com os do tribunal, diz O Globo.
Alexandre de Moraes (foto) se irritou com reportagem da Folha segundo a qual as Forças Armadas pretenderiam fazer uma “apuração paralela” no dia da eleição e desmarcou a reunião que estava prevista para esta terça (13) com o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, informa Malu Gaspar em O Globo.

“O encontro não estava previsto na agenda oficial de Moraes, mas até a noite do último domingo (12) a equipe das Forças Armadas havia recebido confirmação extraoficial do tribunal e se preparava para a audiência”, escreve o jornal carioca. A reunião discutiria a adoção de projeto para mudar o teste de integridade das urnas.

Publicada hoje mais cedo, a reportagem da Folha alegava que os militares planejam pegar 385 boletins de urna aleatoriamente para cruzar os dados com a apuração do TSE. A manchete do jornal foi desmentida pela corte eleitoral, mas, segundo O Globo, ela pegou o TSE de surpresa e provocou a interrupção das conversas.

O presidente da corte eleitoral se irritou com o que chama de “guerra de narrativas” em torno do sistema eleitoral brasileiro e disse, sempre segundo o jornal carioca, que somar boletins de urna não é “apuração paralela”, já que para isso seria necessário somar todos os boletins das mais de 400 mil urnas do país.

“A disponibilização dos BUs no site oficial do tribunal, não apenas aos militares, mas a qualquer um, era uma medida já anunciada há meses. O número de boletins que os militares pretendem vasculhar por conta própria só foi revelado agora”, escreve O Globo.

O Antagonista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eleições 2022: Confira o que é preciso levar no dia da votação

 Conforme o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a documentação poderá ser utilizada mesmo se estiver com data de validade vencida. Neste domi...