quarta-feira, 26 de outubro de 2022

Citada em depoimento à PF, servidora que recebeu informação é casada com ex-chefe de gabinete de Alexandre de Moraes


Ludmila dos Santos Boldo Maluf, servidora do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que foi citada em depoimento na Polícia Federal de Brasília, na manhã desta quarta-feira (26), pelo servidor exonerado Alexandre Gomes Machado, é casada desde outubro de 2018, com Paulo José Leonesi Maluf; ex- chefe de gabinete do presidente do TSE, Alexandre de Moraes.

Em depoimento prestado à Polícia Federal, Alexandre Machado, agora ex-assessor da Secretaria Judiciária do TSE, informou que avisou sobre as irregularidades à chefe de gabinete da secretária-geral do TSE, Ludmila Boldo Maluf.

Ludmila dos Santos Boldo Maluf é servidora concursada do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e foi cedida para o TSE em agosto deste ano. Ela é casada com Paulo José Leonesi Maluf, que tem uma longa relação com o presidente do TSE. Maluf foi assessor especial de Alexandre de Moraes, no Ministério da Justiça, em 2017. Quando Moraes assumiu como ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Maluf atuou como assessor, entre 2017 e 2019, e depois chefe de gabinete de Moraes, de 2019 a 2020.

Segundo Machado, ele foi demitido trinta minutos depois de ter enviado um e-mail para a chefe de gabinete do secretário-geral da Presidência do TSE.

“Até a data de hoje estava ocupando a função de assessor do gabinete da Secretaria Judiciária do TSE; que na data de hoje, sem que houvesse nenhum motivo aparente, foi exonerado do cargo e conduzido por seguranças para o exterior do tribunal, tendo ainda que entregar seu crachá de servidor. que acredita que a razão da sua exoneração seja pelo fato de que desde o ano de 2018 tenha informado reiteradamente ao TSE de que existem falhas de fiscalização e acompanhamento na veiculação de inserções da propaganda eleitoral gratuita; que a fiscalização seria necessária para o fim de saber se as propagandas de fato estariam sendo veiculadas”, disse o servidor exonerado em depoimento.

“Que especificamente na data de hoje, o declarante, na condição de coordenador do pool de emissoras do TSE, recebeu um e-mail emitido pela emissora de rádio JM On Line no qual a rádio admitiu que, dos dias 7 a 10 de outubro, havia deixado de repassar em sua programação 100 inserções da Coligação Pelo Bem do Brasil, referente ao candidato Jair Bolsonaro; que o declarante comunicou o fato para Ludmila Boldo Maluf, chefe de gabinete do secretário-geral da Presidência do TSE, por meio de e-mail; que cerca de trinta minutos após esta comunicação foi informado, pelo seu chefe imediato, de que estava sendo exonerado”, diz Machado.

(Gazeta Brasil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Garanta Já seu Lote, No Loteamento R. Martins – Cocal - Piauí

   O Loteamento R. Martins, bem situado nas margem da rodovia PI 309, que liga Teresina a Barra Grande na região norte do estado do Piaui. H...