sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Escola satisfaz apenas 1 a cada 10 jovens no país, diz pesquisa

Para o levantamento, foi usada a metodologia participativa com a qual foram ouvidos 132 mil adolescentes e jovens de 13 a 21 anos de todas as regiões do país. Mais de 85% dos entrevistados são da Região Sudeste; 9,4% do Centro-oeste, 3,6 do Sul, 1,4% do Nordeste e 0,2% do Norte


P
esquisa divulgada hoje (22) pelo Instituto Inspirare mostra os jovens não estão satisfeitos com as escolas brasileiras, o que envolve aulas e material pedagógico.

“Os alunos demonstram claramente que não estão felizes com a forma como o ensino e a aprendizagem ocorrem", diz Anna Penido, diretora do instituto. De acordo com Anna, os alunos reclamam da inadequação das aulas e do material didático e afirmam que as relações entre eles e entre eles e os professores "não é legal”.

Feita em parceria entre o portal Porvir, programa especializado em inovações educacionais do Instituto Inspirare, e a Rede Conhecimento Social, a pesquisa Nossa Escola em (Re)Construção mostra que um em cada 10 jovens que responderam ao questionário está satisfeito com as aulas e o material pedagógico.
Para o levantamento, foi usada a metodologia participativa com a qual foram ouvidos 132 mil adolescentes e jovens de 13 a 21 anos de todas as regiões do país. Mais de 85% dos entrevistados são da Região Sudeste; 9,4% do Centro-oeste, 3,6 do Sul, 1,4% do Nordeste e 0,2% do Norte.
Oito em cada 10 entrevistados disseram que as relações dos alunos com a equipe escolar e com os colegas precisam melhorar. Apesar das críticas, os estudantes ouvidos na pesquisa demonstram que ainda têm vínculo afetivo com o espaço escolar: 70% deles gostam de seus colégios e 72% dizem que aprendem lá coisas úteis para sua vida.
“Eles gostam da escola, eles não desistiram dela. Eles querem que a escola seja diferente, mas que continue existindo. A escola se desconectou da realidade desses alunos, e agora, para se reconectar, vai ser importante escutá-los, ver porque não estão aprendendo”, frisou Anna.
Para a diretora do Inspirare, no mundo todo, vive-se atualmente a maior crise do modelo educacional desde que se criou a escola como existe hoje. “A escola de hoje foi construída na revolução industrial para educar as pessoas em larga escala, um modelo mais padronizado para educar muita gente ao mesmo tempo."
Anna disse que esse modelo respondeu a uma realidade "mais cartesiana, mais linha de produção, quando as pessoas se preparavam para uma profissão conhecida, em um cenário mais estável". "Vivemos hoje em um mundo mais volátil, [com] muita intermediação tecnológica, e a escola tem que acompanhar as novas demandas”, acrescentou Anna.
A estrutura física das escolas também é motivo de descontentamento. Para metade dos entrevistados, a sala de aula tradicional, com carteiras dispostas em filas, não faz parte da escola dos sonhos. Os alunos ouvidos na pesquisa expressaram a vontade de diversificar o local em que estudam. As opções mais populares são o uso de ambientes internos e externos e de móveis variados, como pufes, bancadas, almofadas e sofás, dispostos em diferentes configurações, Os entrevistados não querem estudar apenas em lugares fechados: 44% sonham com uma escola com bastante área verde.
A pesquisa revela ainda que 36% dos estudantes consideram que “atividades práticas ou resolução de problemas” os faria aprender mais, e 27% entendem que o uso da tecnologia contribui para a aprendizagem. Para 51%, a tecnologia não deveria se restringir a laboratórios de informática, mas também estar presente nas salas de aula e em outros ambientes.
Os jovens também acreditam que a escola deve prepará-los para o futuro. Mesmo quando imaginam uma instituição inovadora, 27% dizem que o foco deve ser "o preparo para o Enem e o vestibular” e 23% dão prioridade à "preparação para o mercado de trabalho”. Quanto ao currículo, 25% querem ter algumas disciplinas obrigatórias e o direito de escolher outras, enquanto 21% defendem disciplinas obrigatórias no horário de aula e eletivas no contraturno.
Para entender o que os alunos pensam da escola e, principalmente, o que esperam dela, a pesquisa usou uma metodologia chamada PerguntAção, que envolveu os jovens em todas as etapas do processo – da elaboração do questionário à análise das respostas.  O questionário ficou disponível na internet de 28 de abril a 31 de julho deste ano, para que alunos ou ex-alunos de todo o Brasil pudessem responder às perguntas feitas com o apoio de um conselho de especialistas e de um grupo de 25 jovens de 13 a 21 anos. Algumas secretarias de Educação empenharam-se em divulgar a pesquisa entre os jovens.
Segundo Anna Penido, o Instituto Inspirare busca apresentar a pesquisa ao Ministério da Educação e às secretarias de Educação, para que a voz dos jovens possa influenciar na tomada de decisão diante dos gestores.



Fonte: JL/Agência Brasil

TRE-PI já recebeu quase 900 denúncias através do aplicativo Pardal

Eleitores utilizam ferramenta para denunciar atos ilícitos nas campanhas. Denúncias são avaliadas pelo TRE e podem virar investigação

O
Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) recebeu até a manhã da quarta-feira (21) um total de 867 denúncias de eleitores por meio do aplicativo Pardal. A ferramenta criada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) permite que os próprios eleitores denunciem irregularidades cometidas por candidatos durante as campanhas.
De acordo com o TRE, 49% das denúncias são referentes à propaganda eleitoral irregular, 12% por crimes eleitorais, 10% por uso da máquina pública, 7% por compra de votos, 3% por doações e gastos eleitorais e 19% outros tipos. As cidades com mais denúncias são Teresina, Caridade do Piauí e Luis Correia.
Para o desembargador Valério Chaves, a quantidade de denúncias revela que o eleitor está mais interessado em fiscalizar o processo eleitoral e contribuir com a Justiça.
"É uma demonstração de que realmente o eleitor está acompanhando a campanha eleitoral e está interessado em primar pela regularidade das eleições e evitar a corrupção", falou.
Com o Pardal, o eleitor pode registrar atos ilícitos na campanha através de fotos ou imagens e mandar para o TRE. O órgão faz uma filtragem e caso a denúncia tenha embasamento, o caso pode ser investigado. Ao todo, mais de 10 mil candidatos disputam as eleições nos 224 municípios do Piauí.



Fonte: JL/G1PI

TRE-PI indefere 180 candidaturas e Ficha Limpa barra 29 políticos

Do total de enquadrados na Ficha Limpa, quatro eram candidatos a prefeito. TSE mostra ainda o número de políticos barrados por outros motivos

F
altando apenas 10 dias para as eleições, 183 políticos já tiveram as candidaturas indeferidas no Piauí. Do total de indeferimentos, 29 deles foram enquadrados na Lei da Ficha Limpa, promulgada em 2010 após iniciativa popular. A lei tem o intuito de impedir que políticos condenados pela Justiça disputem cargos eletivos.
Os indeferimentos pela Lei da Ficha Limpa são o segundo mais comuns no Piauí. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o primeiro motivo mais recorrente é a ausência de requisitos para registro das candidaturas, com 138 casos. Existem ainda outros nove políticos barrados após a Justiça indeferir o partido ou a coligação.
Dos 29 impedidos de disputar com base na Lei da Ficha Limpa, 22 são candidatos a vereador, quatro candidatos a prefeito e três candidatos a vice-prefeito. O número de candidaturas barradas pode aumentar, já que nem todos os processos foram julgados.
Os demais motivos são diversos, como políticos impedidos de disputar por ser analfabeto, por não ser filiado a partido, compra de voto, ausência de quitação eleitoral, abuso de poder econômico e outros. Segundo o TSE, alguns candidatos tiveram as candidaturas indeferidas por mais de um motivo.
Outros dados
O Tribunal Superior Eleitoral apresenta ainda a quantidade de políticos piauienses classificados como "inaptos" para disputar o pleito eleitoral do dia 2 de outubro. Essa situação engloba os 183 indeferidos, 145 que renunciaram à disputa e quatro que acabaram morrendo no decorrer da campanha.
Os quatro mortos são os então candidatos a prefeito e a vice de Pajeú do Piauí Juscelino Mesquita dos Reis e José Eduardo Gonzaga, que morreram em um grave acidente na PI-140 no dia 13 deste mês, o candidato a vice-prefeito de Prata do PiauíJosé Bezerra e o vereador de Esperantina Tote Aristides, assassinado no mês passado.



Fonte: JL/G1PI

Mais um negro morre após abordagem policial nos Estados Unidos

Tawon Boyd, de 21 anos, tinha tentado resistir a prisão

M
ais um jovem negro foi morto após uma operação da polícia dos Estados Unidos, novamente em Baltimore, cidade de Maryland que já ficou marcada pelo falecimento do afro-americano Freddie Gray enquanto estava sob custódia das forças de segurança.
Tawon Boyd, de 21 anos, morreu depois de ter tentado resistir a uma prisão no mesmo município. O caso ocorreu no último dia 19 de setembro, quando a polícia foi chamada pela noiva de Boyd, Deona Styron, que denunciava "comportamentos estranhos" do companheiro.
Contudo, a própria Styron disse depois que os agentes usaram força excessiva na abordagem, mesmo Boyd estando desarmado. As circunstâncias do episódio ainda não estão claras, mas o homem foi levado de ambulância para um hospital. Após três dias internado, não resistiu e faleceu. Seu corpo deve passar por uma autópsia para identificar a causa da morte.
Em abril de 2015, um homem negro de 25 anos chamado Freddie Gray faleceu em Baltimore enquanto estava sob custódia da polícia. Ele havia sido preso menos de uma hora antes de ser levado ao hospital, aonde chegara com 80% da coluna machucada e três ossos do pescoço quebrados.
Além disso, nos últimos dias, a cidade de Charlotte, na Carolina do Norte, vem sendo palco de violentos confrontos por conta da morte do negro Keith Lamont Scott pela polícia, reacendendo o debate sobre o preconceito racial nos Estados Unidos.


Fonte: JL/Ansa

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Cocal uma história para se lê e refletir; (antes e depois)



Fonte: Tropical Noticias
Jornalista Raimundo Martins

        Cocal já sofreu por uma má Administração Pública, mas conseguiu passar por importantes transformações. Porém, o grande desafio, é, realmente, tornar-se mais eficiente e fazer com que seus dirigentes exerçam suas atribuições com mais compromisso para que a sociedade possa ter seus anseios atendidos e respeitados.



      Cocal de antes levava situação financeira muito difícil os servidores públicos eram os mais prejudicados, com seus salários atrasados, afastando-se das práticas essencialmente burocráticas e passando a uma prestação do serviço público com maior desprezo por falta de uma eficiência e qualidade.



     Com vários setores da administração pública sem funcionamento e ou engessadas, consequentemente vista a olho nu um total abandono; Somente com ação, determinação e um grande compromisso da atual gestão na busca recursos financeiros para resolver a questão dos servidores e trazer uma escapatória para a implantação do que pudesse  "RESGATAR" a Cocal dos Cocalenses, trazendo a cidadania que o dirigente público almejava para fazer um governo eficiente, capaz e comprometido com valores fundamentais como a legalidade, a impessoalidade e a moralidade.



      No entanto, tal mudança nem sempre ocorre na prática, pois certos mecanismos arraigados à prática administrativa de uma cidade, ainda que a burocracia muita das vezes se torna um problema, acobertam a ineficiência e a falta de compromisso com o serviço público ainda deixa a desejar por que nada nessa vida vem a ser 100%.



      Com esta reforma da cidade, o gestor tem colocado neste processo inovador da administração moderna, posto que o princípio da eficiência ressurgiu como elemento representativo da qualidade, que veio com tenacidade para prestar serviços ao povo cocalense, como filho da terra sonhava que um dia essa cidade cairia em suas mãos, um moço sonhador, que sedo ou mais tarde esperava por essa mudança, como de fato chegou numa boa hora porque a cidade já não aguentava mais de ver tanto lixo e desprezo por uma má administração pública que ali existia.

     Cocal que estava submetido a procedimentos e processos obsoletos, desatualizados e destituídos do mínimo conforto que lhe podia ser oferecido como consequência natural da contraprestação da dívida da cidade. Porém, outro desafio existia, ou seja, apesar de não haver esforços para implementar e gerenciar Cocal, por isso a cidade sofreu por que seus antecessores não olhavam para o seu bem-estar da cidade e da população, contudo encontravam-se em mau estado de conservação, para não dizer ABANDONO.



       Hoje você tem que olhar o estudo dos acontecimentos do passado como referência e reflexão para o agora, já que a decisão de agora vai comprometer nosso futuro.



       O ponto central é prosseguir o bom funcionamento, para Cocal continuar no caminho certo, para um modelo gerencial de uma boa Administração Pública.
4 anos atrás na Av. Coronel João Marques- Próximo o a balão da Camila Silva
                         Av. Coronel João Marques- Hoje -  Próximo o a balão da Camila Silva
                                                  A Praça de Eventos 4 anos atrás
                                                          A Praça de Eventos - Hoje
                                              Galpão anexo do mercado público 4 anos atrás
A onde era o Galpão, hoje Centro Comercial de Cocal
                          Escola Pública de 4 anos atrás - Localidade Lagoa do Peixe - Cocal
     Escola Pública da localidade Lagoa do Peixe, Hoje - Cocal
                                                         Praça da Matriz 4 anos atrás
Praça da Matriz - Hoje
                                     Local frente o posto de saúde do bairro Mutirão - 4 anos atrás
                                          Local frente o posto de saúde do bairro Mutirão - Hoje
                                                   Consultório odontológico 4 anos atrás
 Consultório odontológico - Hoje
4 anos atrás urubus faziam festa
Só para refletir, alguém lembra do Galpão do anexo do Mercado Público 4 anos atrás?

Sindicatos protestam contra governo Temer no PI e 15 estados

Ao menos 16 estados têm manifestações nesta quinta-feira (22). CUT fez convocação por Dia Nacional de Paralisação e Mobilização
Manifestantes realizaram atos contra o presidente Michel Temer (PMDB) em ao menos 16 estados ao longo desta quinta-feira (22). As manifestações fazerm parte do Dia Nacional de Paralisação e Mobilização das Categorias, convocado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), contra perda de direitos trabalhistas e a reforma da previdência. Os atos contam com apoio dos movimentos Frente Brasil Popular e Povo sem Medo, além de outras centrais sindicais.
As manifestações ocorreram em Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo.
O maior ato contra Temer era registrado até as 13h em Sorocaba (SP) - a organização diz que 7 mil pessoas participaram do ato e a Polícia Militar não tinha informações sobre o número de pessoas. As demais manifestações eram bem menores até o horário - com algumas centenas de pessoas participando.
Veja a situação em cada local:
Alagoas
Grupos contrários ao governo de Temer realizaram ato pela manhã em Maceió. Segundo representantes do movimento, 3 mil participam do ato. A Polícia Militar não acompanha a manifestação. Os 
manifestantes percorreram as ruas do Centro e o trânsito ficou congestionado.
AmapáGrupo de trabalhadores fez um protesto na Praça da Bandeira, no Centro de Macapá, pela manhã. Participaram do ato diversas instituições sindicais e elas pediram, entre várias reivindicações, afastamento do governo Temer. De acordo com os organizadores, cerca de 2 mil pessoas estão presentes no ato. A Polícia Militar não fez estimativa de manifestantes.
Bahia
As universidades estaduais do estado da Bahia nas cidades de Salvador (Uneb), Feira de Santana (Uefs) e Ilhéus (Uesc), estão sem aulas e com portões fechados nesta quinta. O ato  faz parte de um protesto do 'Dia Nacional de Luta' e critica o governo Temer. 
Professores e estudantes se reuniram em frente à sede de cada instituição para fazer uma panfletagem e não houve problema no trânsito. A polícia não acompanhou o ato.
Ceará
Trabalhadores em Fortaleza rfizeram ato contra medidas anunciadas pelo governo de Michel Temer para as leis trabalhista e previdenciária. Segundo a organização, 5 mil pessoas participaram do. A Polícia Militar informou que não fará levantamento da quantidade de participantes.
Com a mobilização, a Avenida Duque de Caxias, próximo à Rua Barão do Rio Branco, teve o trânsito bloqueado no sentido Centro Aldeota.
Espírito SantoCentrais sindicais e movimentos populares protestaram em frente à Assembleia Legislativa, em Vitória pela manhã. Os manifestantes são contra as reformas na previdência e as mudanças nas leis trabalhistas propostas pelo governo Temer. A organização estima a participação de 3 mil pessoas. A Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo (Sesp) disse 350 manifestantes.
Goiás
Diversas entidades sindicais se reuniram pela manhã em Goiânia. Elas criticaram projetos que preveem mudanças trabalhistas, a terceirização de serviços e também pediram a saída do presidente Temer. O 
ato teve início por volta das 8h na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). De acordo com os organizadores, cerca de 2 mil pessoas estiveram presentes. Já a Polícia Militar estima que foram cerca de 700.
Minas Gerais
Trabalhadores de várias categorias participam de atos contra medidas do governo Temer em Belo Horizonte. 
Por volta das 11h, a Praça Sete, no hipercentro da capital mineira, foi fechada. Manifestantes se reuniram no entorno do monumento Pirulito, nos cruzamentos das avenidas Afonso Pena e Amazonas. Segunod a organização, cerca de mil pessoas participavam do ato. A Polícia Militar não informou o número de manifestantes.
Pará
Grupo de manifestantes realizou uma passeata pela manhã nas ruas de Belém. 
Eles protestaram contra o governo Temer e a retirada de direitos dos trabalhadores. A organização do ato estima que 2 mil pessoas participaram da passeata. A Polícia Militar informou que não vai divulgar o número de participantes.
Paraíba
Manifestantes fizeram atos em vários pontos de João Pessoa. 
Todos os trens que circulam na Região Metropolitana de João Pessoa e parte dos ônibus que atendem a população da capital ficaram sem circular pela manhã. A CUT informou que não tem estimativa de quantas pessoas participaram dos protestos desta manhã. As aulas em parte da rede pública e na Universidade Federal da Paraíba (UFPB) também estão suspensas nesta quinta-feira.
PernambucoProtesto interditou um trecho da Avenida Sul pela manhã no Recife. De acordo com a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), as retenções no trânsito começaram a ser registradas por volta das 8h30 e o tráfego foi liberado pouco antes das 10h. A ação fez parte dos atos contra o Governo Temer. Segundo os organizadores, a manifestação reuniu 300 pessoas. A Polícia Militar informou que não faria estimativa de participantes.
PiauíDiversas entidades realizaram manifestação pelas ruas do Centro de Teresina pela manhã. A organização estima que 500 pessoas participaram do ato. A Polícia Militar não acompanhou o protesto. O ato, que faz parte do Dia Nacional de Paralisação, começou por volta das 8h e terminou às 11h. Manifestantes são contra a reforma trabalhista e previdenciária proposta pelo governo federal.
Rio Grande do Sul
Sindicalistas realizam protestos contra reformas trabalhistas e na previdência porpostas no governo Michel Temer em Porto Alegre. 
Os ônibus foram impedidos de sair das garagens pela manhã. Após a liberação das garagens, trabalhadores e sindicalistas realizaram caminhadas em pontos de Porto Alegre. Na Zona Leste, uma manifestação bloqueou o corredor da Avenida Bento Gonçalves no sentido bairro-Centro durante ato. Não há estimativa de pessoas participantes do ato.
RondôniaVários sindicatos de servidores públicos realizaram manifestação pela manhã no Centro de Porto Velho. De acordo com o Movimento Frente Brasil Popular (FBP) que organiza o evento, os trabalhadores se uniram em protesto pela reforma trabalhista e contra o presidente Michel Temer. As centrais sindicais como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil (CTB) e Eletrobras Rondônia estiveram presentes. Segundo a organização, 100 pessoas participaram do ato.
RoraimaManifestantes se reuniram pela manhã em frente ao Hospital Geral de Roraima (HGR), em Boa Vista, em apoio ao Dia Nacional de Paralisação e Mobilização. O ato foi organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), juntamente com 20 sindicatos locais. Conforme o grupo,150 pessoas participaram do ato. A PM não acompanhou o protesto.
Santa Catarina
Trabalhadores do transporte público paralisaram as atividades pela madrugada na Grande Florianópolis. 
Os ônibus não saíram das garagens entre 4h30 e 6h, segundo o Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Urbano de Passageiros da Região Metropolitana de Florianópolis (Sintraturb). Motoristas e cobradores se unem ao movimento nacional contra reformas trabalhistas. Em nota, o Sintraturb afirmou que a mobilização é "contra a retirada de direitos feita pelo governo de Michel Temer". Não há estimativa de pessoas participantes do ato.
São Paulo
Em Sorocaba, centrais sindicais fizeram manifestação contra o governo Temer. 
A mobilização foi liderada pelo sindicato dos metalúrgicos. Segundo os organizadores, 7 mil pessoas participaram do ato que contou com a presença de 16 sindicatos, a maioria do setor de indústrias. O número de participantes não foi divulgado pela Polícia Militar, que não acompanhou a manifestação.
Na cidade de Bauru, grupo de manifestantes de sindicatos ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) fez ato na frente da Câmara dos Vereadores. A Polícia Militar não acompanhou a manifestação, que reuniu aproximadamente 20 pessoas, de acordo com os manifestantes.
Já em Taubaté, manifestantes se reuniram pela manhã na região central. De acordo com a organização, cerca de 250 pessoas participaram da manifestação. A Polícia Militar acompanha o protesto, mas não fez um balanço de quantas pessoas aderiram ao movimento. A manifestação se concentrou na praça Dom Epaminondas, onde líderes de movimentos sociais e sindicais fizeram discursos contra o governo e em defesa do emprego.
Fonte: JL/Globo

Eduardo Cunha dispara contra ex-aliados: “covardes e hipócritas”

Em entrevista à Radio Correio, de João Pessoa, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) bateu duro em alguns de seus aliados, como Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), ex-ministro das Cidades

Em entrevista à Radio Correio, de João Pessoa, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), bateu duro em alguns de seus aliados, como Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), ex-ministro das Cidades.
“O eleitor não gosta de deputado covarde. O povo da Paraíba precisa conhecer o deputado Aguinaldo Ribeiro”, disse Cunha, afirmando que Ribeiro esteve na sua casa fazendo contas, antes de decidir seu voto.
Cunha voltou a bater em Moreira Franco, responsável pelo programa de privatizações do governo federal, dizendo que, com ele, o governo Temer fica sob suspeição.
Segundo Cunha, “o ambiente político ainda está bastante quente” e “só a próxima eleição presidencial vai amenizar o momento negativo da política”.
Ele falou também sobre seu livro, que terá o título Impeachment. “O livro vai ser um best seller”, previu.
Fonte: JL/247

Justiça investiga R$ 15,9 milhões doados a campanhas eleitorais por beneficiários do Bolsa Família

  TSE apura se programa está sendo usado como "laranja" para lavar doações ilegais.
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) identificou, até a semana passada, 16.708 beneficiários do Bolsa Família que fizeram doações para campanhas eleitorais, injetando a soma de R$ 15.970.436 no pleito.

O presidente do TSE, Gilmar Mendes, deve entregar, ainda na tarde desta quinta-feira (22), os dados das doações para o ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social), responsável pelo programa. 

O Ministério deve investigar se os beneficiários possuem renda maior que a informada no cadastro do governo e, portanto, não deveria receber o benefício.

Já a Justiça Eleitoral investigará se o cadastro no programa Bolsa Família está sendo usado como laranja para "lavar" doações ilegais.
Números
O benefício do Bolsa Família é de R$ 176; em média, cada beneficiário doou R$ 955. os números chamaram a atenção da Justiça Eleitoral.

Com informações da Veja

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Rubens Vieira denuncia a oposição por propaganda negativa na campanha

A representação solicita a imediata suspensão da divulgação negativa

Prefeito Rubens Vieira (E), e o opositor Gilson da Serraria (D)

A coligação “Cocal no Caminho Certo I”, encabeçada pelo prefeito de Cocal e candidato à reeleição, Rubens Vieira (PSDB), entrou com uma representação contra o candidato a prefeito, Gilson da Rocha Fernandes (PMDB), conhecido como Gilson da Serraria, e a candidata à vice-prefeita, Ianara de Sena Monção, por propaganda negativa.

O documento afirma que o candidato Gilson realizou, em comício, discursos difamatórios com a intenção de denegrir a imagem do atual prefeito Rubens Vieira. Neste sentido, os discursos se caracterizam como propaganda negativa por atribuírem ao prefeito ações inverídicas.

A representação solicita a imediata suspensão da divulgação da propaganda negativa, bem como a aplicação de multa no valor correspondente à penalidade.

FONTE: 180graus
Sobre o autor

Gil Rodrigues Editor Chefe do Portal Tribuna do Norte, Radialista e Administrador de empresas. O Portal Tribuna do Norte faz toda a cobertura da região norte do estado do Piauí com notícias de relevância e buscando sempre levar o melhor da informação para a população mantendo-a bem informada.
Fonte  180 graus- postado por Tropical Noticias

Saudade de antigamente e você?



Fonte Tropical Noticias
Jornalista Raimundo Martins

Lembrança de antigamente, a vida das famílias era mais simples e tranquila, não existia a correria que vemos hoje em dia.
Antigamente as coisas eram mais simples, quem já ouviu esta frase? As pessoas mais velhas lembram-se, com muita saudade, como era simples a vida em tempos remotos. Vivemos hoje num mundo cada vez mais complexo. O conceito de certo e errado já não é mais considerado, ou pelo menos, é deixado em segundo plano.
                                              Quartinha
                                               Cabaça
Cuia

As pessoas andavam a pé, pois quase não existiam carros. As ruas eram de terra ou de paralelepípedos. As crianças podiam brincar nas ruas, calçadas, no terreiro de casa e debaixo das árvores, pois não havia perigo de acidentes ou assaltos, as pessoas eram mais humildes em sua casinha de chão batido, Não existia água encanada e as pessoas precisavam buscar água para lavar as louças, roupas, cozinhar ou tomar banho. As pessoas usavam os potes para água de beber ou de quartinha, tudo parecia tão belo e arrumado. As mocinhas iam buscar água na cacimba de beber levava  lata, cabaça e uma cuia.
                                          Chão Batido
                                             Menino curioso
Na varanda da Casa a familia

Os vizinhos eram como integrantes das outras famílias, todos os dias se reuniam nas varandas de suas casas para conversar enquanto as crianças brincavam, as crianças obedeciam aos pais porque era correto. Ninguém mexia no que era dos outros, porque era errado. Os jovens aprendiam trabalhar desde cedo e a comunidade toda era beneficiada. Os mais velhos sempre usava fumo de rolo e cigarro de palha. 
                                                                        Fumo de Rolo
Cigarro de Palha
                                         Fogão de Lenha
As brincadeiras, nessa época, eram: roda, pega-pega, esconde-esconde, passa anel, cadê o grilo?. Bolinha de gude, ciranda ou cirandinha etc.
Crianças brincando de roda

O Senhor acordava cedo para seguir o destino do caminho da roça, a senhora se preocupava para preparar o alimento com o seu fogão de lenha e que muitas vezes as pessoas usavam trempes e colocava a panela para preparar a comida.
                                                Potes
                                        Fogão de lenha
Trempe e panela

As famílias eram bem grandes, um casal tinha muitos filhos. Muitas das vezes o pai não podia educar porque naquela época escola era muito difícil na zona rural, por isso quando amanhecia o dia o pai já levava os filhos e filhas para o trabalho. Mas hoje o número de pessoas na família diminuiu muito, o normal é um casal ter poucos filhos e muitos já vivem de bolsa família, enquanto Isso acontece na vida moderna à mulher trabalha para ajudar nas despesas da casa.

Nas casas não existiam aparelhos de televisão, ouvia-se música em vitrolas com discos de vinil ou no rádio. A comunicação era através de cartas ou bilhetes assim fazia os namorados, as noticias também eram transmitidas em novelas. As fotografias eram feitas por um homem que colocava um pano preto na cabeça e falava “olha o passarinho”, para as pessoas sorrirem.

Carta
                                              Radiola
                                                   Vitrola
Radio

Era comum matarem bode, galinhas e porcos no quintal de casa, onde também se colhiam verduras e legumes de uma horta que os mais velhos cuidavam. Como não existia geladeira, as carnes eram cozidas em fogões à lenha e armazenadas em latões, mergulhadas em gordura de porco – banha, para não estragarem. 
 

A vida de hoje é mais agitada devido à quantidade pessoas, outras diferenças existem se compararmos à violência e as dificuldades para se viver bem ninguém têm mais paz porque a sociedade em se vivem preocupadas com os grandes acontecimentos que influenciaram o nosso mundo.

É fato que a humanidade vem perdendo muito por não dar ouvidos a Deus. Imagine se no mundo fosse banido apenas um mal: o amor ao dinheiro! Imagine, então, se todo o mundo parasse para ouvir que de dentro, do coração dos homens, é que procedem aos maus desígnios, à prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura.  

 
 
 
 
 
 
 
 
 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...