quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Wellington apresenta Plano de Vacinação contra Covid-19 nesta sexta

Wellington apresenta Plano de Vacinação contra Covid-19 nesta sexta

O evento será realizado às 11h no Palácio de Karnak e terá transmissão ao vivo pelos canais oficiais do Governo do Estado.

Nesta sexta-feira (15), o o governador Wellington Dias irá apresentar o Plano Operacional de Estratégia de Vacinação contra a Covid-19 no Piauí, aos secretários de Saúde e prefeitos dos municípios piauienses.

O evento será realizado às 11h no Palácio de Karnak e terá transmissão ao vivo pelos canais oficiais do Governo do Estado. Durante a ocasião, também será realizada uma reunião do COE ampliado.

Durante a apresentação, serão explicadas as ações e estratégias de distribuição, acondicionamento, transporte, público-alvo, farmacovigilância, segurança e comunicação, além de outros pontos que permitirão a realização da imunização dos piauienses.

Segundo o governo, também serão descritas as quatro fases iniciais da vacinação, que possuem público especificado dentro do plano.

A vacinação contra a Covid-19 tem como objetivos contribuir para a redução de morbidade e mortalidade, bem como a transmissão da doença; vacinar os grupos prioritários com maior risco de desenvolver complicações e óbitos; vacinar populações com maior risco de exposição ao vírus, bem como de transmissão; ampliar a vacinação aos demais grupos, conforme aumento e expansão da vacina no mercado.

Fonte: Viagora

Edição: Tropical Noticias

 

Com colapso de oxigênio, AM manda pacientes a outros Estados

 

Com colapso de oxigênio, AM manda pacientes a outros Estados

Estado está enfrentando seu pior momento na pandemia de covid-19, com dificuldades especialmente para a aquisição de oxigênio

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), afirmou nesta quinta-feira que o Estado está enfrentando seu pior momento na pandemia de covid-19, com dificuldades especialmente para a aquisição de oxigênio, em meio a uma nova disparada na contagem de casos e óbitos em decorrência da doença.

Trabalhadores chegam a hospital em Manaus (AM) com cilindro de oxigênio 
14/01/2021
REUTERS/Bruno Kelly
Trabalhadores chegam a hospital em Manaus (AM) com cilindro de oxigênio 14/01/2021 REUTERS/Bruno Kelly
Foto: Reuters

Segundo a Secretaria de Saúde amazonense, o Estado foi comunicado na noite de quarta-feira, pela empresa responsável, do colapso do plano logístico para algumas entregas de oxigênio, o que causará a interrupção da programação por "algumas horas".

"Os casos de covid aumentaram significativamente aqui no Amazonas, sobretudo em Manaus, e hoje nós estamos no momento mais crítico da pandemia, algo sem precedentes no Estado do Amazonas, em que enfrentamos muitas dificuldades para conseguir insumos", disse Lima em pronunciamento.

Ao lado do governador, o secretário de Saúde amazonense, Marcellus Campêlo, afirmou que neste momento os níveis de consumo de oxigênio são 2,5 vezes superiores aos vistos no auge da primeira onda da pandemia, entre abril e maio de 2020.

Ele descreveu o aumento como um movimento súbito e inesperado ocorrido em menos de dez dias, afirmando que até mesmo leitos abertos com apoio do Ministério da Saúde, prontos para utilização, não puderam ser ativados em função do colapso no fornecimento de oxigênio.

"Nós tivemos aqui um aumento da demanda acima do esperado. A empresa nos apresentou a dificuldade em relação à logística, e a cada dia o aumento do consumo", disse Campêlo.

Representante do Ministério da Saúde no pronunciamento, o secretário de Atenção Especializada à Saúde da pasta, coronel Franco Duarte, disse que "a matemática mostra" o déficit de oxigênio local: enquanto o consumo diário atinge 76,5 mil metros cúbicos, a produção da Manaus White Martins é de 28,2 mil metros cúbicos por dia.

Duarte acrescentou que, diante do alto consumo e da dificuldade logística para reposição da oferta, será implantado um "plano de cooperação" para o transporte aéreo de pacientes do Amazonas em fase moderada da doença para outros Estados.

Pacientes serão encaminhadas, segundo Wilson Lima, para Goiás, Piauí, Maranhão, Brasília, Paraíba e Rio Grande do Norte, no que chamou de "gesto humanitário" dos governadores dessas unidades federativas.

O Amazonas possui, de acordo com dados do Ministério da Saúde, o terceiro maior índice estadual de mortes por covid-19 a cada 100 mil habitantes, abaixo somente de Rio de Janeiro e Distrito Federal. No Estado, foi descoberta uma nova variante do coronavírus que, segundo pesquisadores, pode estar contribuindo para uma explosão de casos no Estado.

Conforme boletim publicado na quarta-feira, a ocupação dos leitos de UTI destinados a pacientes de covid-19 no Amazonas atingia 90,33% do total, enquanto os leitos clínicos para coronavírus estavam além do limite de ocupação. As salas vermelhas, que recebem pacientes graves que serão posteriormente transferidos, apuravam ocupação de 93,33% do total.

A Reuters noticiou na terça-feira um crescimento no índice de remoção de corpos de pessoas que morreram em casa no Amazonas, diante da taxa elevada de ocupação dos hospitais locais.

Medidas restritivas

Em um tentativa de conter a disseminação da covid-19 no Estado, o governador Wilson Lima também anunciou nesta quinta-feira a publicação de decretos com novas medidas restritivas para o Amazonas.

Uma das ações é um "toque de recolher" entre 19h e 6h, com o fechamento de todas as atividades e circulação de pessoas, exceto para atividades e transporte de produtos essenciais.

O governador também determinou a suspensão do transporte coletivo de passageiros entre rodovias e rios no Estado, com exceção dos transportes de cargas. O Estado do Pará publicou nesta quinta decreto que proíbe a entrada no Estado de embarcações vindas do Amazonas.

"São medidas que são necessárias neste momento. São medidas que para alguns podem parecer duras, mas elas são necessárias, visando, acima de tudo, a proteção da vida das pessoas", disse Lima.

Na quarta-feira, a Justiça Federal decidiu suspender a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no Amazonas, indicando que as provas não poderão ocorrer enquanto durar o estado de calamidade pública decretado pelo governo estadual por causa da pandemia. O exame está marcado para os dias 17 e 24 de janeiro

Fonte: Terra

Edição: Tropical Noticias

Piauí é um dos 5 estados a não informar estoque de seringas, diz Ministério da Saúde

Piauí é um dos 5 estados a não informar estoque de seringas, diz Ministério da Saúde

Em ofício ao STF, Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (13) que o governo “não possui estoque disponível” de seringas e agulhas para a campanha de vacinação contra a covid-19. De acordo com o documento, 7 estados não têm nem mesmo para as doses iniciais, para grupos prioritários.

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello

Conforme o documento, o estado do Piauí é um dos cinco entes federativos que não informaram o atual estoque de seringas e agulhas disponíveis para serem utilizados no início da campanha de vacinação.

“Os estados de Amapá, Bahia, Pará e Piauí não encaminharam as informações relativas aos estoques, motivo pelo qual foi utilizado a informação constante no sistema SIES”, diz o ofício.

O documento foi enviado pelo órgão para cumprir decisão do ministro Ricardo Lewandowski, que havia determinado que o Ministério da Saúde comprovasse o estoque dos insumos.

A pasta afirmou que os Estados correm risco de não ter estoque suficiente para atender à demanda inicial de aplicação das vacinas.

Em uma análise mais detalhada, observando o estoque de cada estado, verifica-se que apenas os Estados do Acre, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina não teriam estoque suficiente para suprir essa demanda inicial, caso houvesse a disponibilidade imediata das 30 milhões de doses [da vacina contra a covid-19]”, disse o ministério.

Segundo a pasta, a aquisição desses produtos é normalmente feita pelos Estados.

“Com relação à comprovação dos estoques dos referidos insumos, cumpre-nos informar que, via de regra, as aquisições são realizadas pelos próprios Entes federados, cabendo à União o fornecimento dos imunobiológicos necessários para a execuções das ações de imunização. Por esse motivo, este Ministério não possui estoque disponível para a realização da referida campanha de vacinação”, diz trecho do documento.

O que diz a Sesapi

Contrariando o que foi divulgado pelo Ministério da Saúde, a  Secretaria de Saúde do Piauí afirmou possuir estoque suficiente de agulhas e seringas para o início da vacinação no estado. De acordo com o órgao cerca de 200 mil seringas e agulhas começarão a ser distribuídas em todo o estado para serem utilizadas na primeira fase da imunização contra o coronavírus.

A estimativa do órgão é que até o próximo dia 16, sejam entregues as seringas e agulhas necessárias para a primeira etapa de vacinação. Os suprimentos serão distribuídos nas dezesseis centrais de frios espalhadas pelo Piauí.

 Fonte: Blog B. Silva

Edição: tropical noticias

Covid-19: avião decola de Campinas (SP) para buscar vacinas na Índia

 Covid-19: avião decola de Campinas (SP) para buscar vacinas na Índia

Aeronave fará escala no Recife (PE), de onde partirá às 23h de sexta-feira (15). Serão trazidos dois milhões de imunizantes 

O avião que vai buscar 2 milhões de doses da vacina contra a covid-19 na Índia decolou às 16h52 desta quinta-feira (14), do aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP).

Avião decolou do aeroporto de Viracopos em Campinas, interior de São Paulo, na tarde desta quinta-feira (14)

Avião decolou do aeroporto de Viracopos em Campinas, interior de São Paulo, na tarde desta quinta-feira (14)


O avião, da companhia área Azul, traz o que seria uma provocação sutil ao governador João Doria: "Somos uma só Nação".

A aeronave fará escala no aeroporto de Guararapes, no Recife (PE), antes de seguir ao exterior, às 23h de sexta-feira (15). A partida da cidade pernambucana para Mumbai, na Índia, foi reprogramada em algumas horas por questões logísticas internacionais.

Fonte: R7

Edição: Tropical Noticias

Eduardo Pazuello diz que vacinação no Brasil começa na quarta

 Saúde

Eduardo Pazuello diz que vacinação no Brasil começa na quarta

Nessa quarta-feira (13), o Ministério já havia informado que a imunização começaria ainda em janeiro, no Brasil.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta quinta-feira (14), que a vacinação contra covid-19 começará na próxima quarta-feira (20) em todo o Brasil, se a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar os imunizantes na reunião marcada para domingo (16).

Ao todo, 130 prefeitos participaram de uma reunião com o ministro, por videoconferência. O presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Jonas Donizetti, foi o único a participar presencialmente. Ele ressaltou que as prefeituras têm seringas e agulhas e que o ministério se comprometeu a repor o estoque em caso de necessidade futura.

Nessa quarta-feira (13), Pazuello já havia afirmado que a vacinação começaria ainda em janeiro, acrescentando que a imunização teria início simultâneo em todo o país. Na reunião, o ministro disse aos prefeitos que o país terá 80 milhões de doses de vacinas disponíveis até abril.

Segundo Donizetti, o órgão de saúde tem condições de distribuir vacinas a todas as unidades da federação dentro de três ou quatro dias após a liberação da Anvisa.

O Ministério da Saúde (MS) aposta na aprovação para uso emergencial de um lote de 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, que chegará da Índia no fim de semana, além de 6 milhões de doses da CoronaVac, já em posse do Instituto Butantan.

De acordo com o MS, o voo da companhia aérea Azul que decolaria nesta quinta-feira (14) do Brasil para a Índia teve uma alteração e partirá na sexta-feira (15).

Ainda segundo o presidente da FNP, o governo vai apresentar informações consolidadas em uma cerimônia, possivelmente no Palácio do Planalto, na próxima segunda-feira (18).

Fonte: Viagora
Edição: tropical noticias

Desvios podem chegar a R$ 55 milhões em apenas dois inquéritos da PF no Piauí

 Em tempo de pandemia

Desvios podem chegar a R$ 55 milhões em apenas dois inquéritos da PF no Piauí

Os recursos deveriam ter sido empregados no combate ao Covid 19, no entanto, de acordo com a PF, teve fim adverso

Produtos com 500% de superfaturamento e mais de 1000% de faturamento bruto, diz Allan Reis
Produtos com 500% de superfaturamento e mais de 1000% de faturamento bruto, diz Allan Reis

Cerca de R$ 55 milhões. Este é o montante de recursos que teriam sido aplicados irregularmente pelo governo do Piauí, através da Secretaria de Saúde e da Fundação Hospitalar, dentre os valores que deveriam ser investidos no combate à pandemia do Covid 19. Os recursos foram provenientes do Ministério da Saúde. A Polícia Federal realizou duas operações em apenas 48 horas nos órgãos governamentais.

Na primeira delas, para apurar possíveis desvios de aproximadamente R$ 33,7 milhões. Na segunda, realizada nesta quinta-feira, teriam sido aplicados indevidamente valores de cerca de R$ 20 milhões. O delegado responsável pelas investigações, Allan Reis, disse que investiga-se superfaturamento e aquisições fraudulentas, que ocorrem quando os produtos comprados não são entregues adequadamente pelo contratado.

No tocante à primeira operação, os policiais federais cumpriram 21 mandados de busca e apreensão, nos municípios de Teresina, Parnaíba e Joca Marques, no Piauí; na cidade de São Paulo (SP); e em Pelotas, no Rio Grande do Sul. Na segunda operação foram realizadas buscas e apreensões em Teresina e Bom Princípio do Piauí.

 O delegado Allan Reis disse ainda que os procedimentos da PF tiveram origem a partir de denúncias publicadas na mídia e de auditorias do TCE/PI (Tribunal de Contas do Estado), bem como de levantamentos da Controladoria Geral da União. Não se trata da Controladoria Geral do Estado, conforme noticiou o grupo Globo através do G1.

O montante investigado na operação atual compreende valores de R$ 5,5 milhões da Sesapi e outros R$ 30 milhões da Fundação Hospitalar. Houve busca e apreensão em empresas e condomínio Naila Bucar, em Teresina. Neste condomínio reside o deputado Pablo Santos, do MBD, que preside a Fundação Hospitalar. Na verdade, a fundação foi criada no governo anterior de Wellington Dias, sem qualquer necessidade aparente, para acomodar o parlamentar picoense.

A PF cumpriu mandado na empresa Dimensão Distribuidora, pertencente ao empresário Jadyel Alencar. Ele teria feito negócios de aproximadamente R$ 38 milhões com o atual governo por meio de dispensa de licitações para fornecimento de produtos hospitalares. Há 3 anos, Alencar foi condenado por comprar produtos roubados da Sesapi.

As perdas totais investigadas até o momento na Operação Onzena compreendem cerca de R$ 20 milhões. Uma empresa envolvida no esquema, de acordo com Allan Reis, vendeu máscaras com superfaturamento de até 500%. O faturamento bruto destes produtos, segundo ele, chegou a cerca de 1000%.

É a sétima operação realizada no governo Wellington Dias pela PF. O governador nega qualquer envolvimento do seu governo com atos de corrupção. No entanto todos os implicados em apurações anteriores, incluindo sua mulher, a deputada Rejane Dias (PT), foram afastados dos cargos. Rejane Dias era a secretária de Educação, conseguiu se reeleger deputada e não mais voltou para a Seduc/PI. (Toni Rodrigues)

Edição: Tropical Noticias

Audiência pública identificou possíveis desfalques de R$ 612 mil na Previdência altoense

Audiência pública identificou possíveis desfalques de R$ 612 mil na Previdência altoense

Prefeito Maxwell da Mariínha anuncia que esforços estão sendo empreendidos para resgatar a situação do sistema

Maxwell da Mariínha diz que previdência enfrenta dificuldades e anuncia trabalho de recuperação
Maxwell da Mariínha diz que previdência enfrenta dificuldades e anuncia trabalho de recuperação

O prefeito de Altos, 42 km de Teresina, Maxwell da Mariínha (MDB), declarou na manhã desta quinta-feira (14) ter recebido uma herança sombria da gestão anterior no que diz respeito ao Altos Prev. "Como já havia dito, recebemos uma herança sombria de quem nos antecedeu. Estamos lutando contra o tempo para solucionar a caixa-preta que virou a previdência dos servidores do município, o Altos Prev", afirmou o chefe do Executivo altoense.

O prefeito disse ainda que tem compromisso de resgatar as condições do sistema previdenciário municipal. Em audiência pública realizada ano passado pela Câmara de Vereadores, o auditor do TCE/PI (Tribunal de Contas do Estado), Alex Sertão, anunciou ter identificado, nas contas da previdência do município, um suposto desfalque de aproximadamente R$ 612 mil (leia aqui).

>>> Audiência pública realizada em 2020, na Câmara de Vereadores, onde já se alertava para a situação delicada da Previdência Municipal

Na época, alertou para a possibilidade de extinção do regime próprio de Altos, que isso pode gerar um verdadeiro caos para o município e principalmente para os servidores. "Se extinguir, o município terá que bancar todas as aposentadorias e pensões que foram concedidas até agora", alertou. O prefeito Maxwell da Mariínha entende que é preciso fazer todos os esforços para garantir a recuperação do sistema.

"Nosso compromisso será devolver o Altos Prev ao servidor com pagamentos em dia", enfatizou. "Queremos uma comissão composta pela diretora do Altos Prev, Márcia Roberta, e representantes dos servidores. Porque antes não havia fiscalização desse dinheiro. Vamos ter total transparência."

Continua depois da publicidade

Em sua conta do Twitter, Maxwell registrou que o resgate da Previdência Municipal representa a dignidade dos servidores. "Quero trazer a dignidade para que os servidores do município possam continuar a fazer seus planejamentos familiares. Conto ainda com nossa equipe jurídica e contábil para dirimir esse grave problema", salientou. (Toni Rodrigues)

 Edição: Tropical Noticias

Wellington apresenta Plano de Vacinação contra Covid-19 nesta sexta

Wellington apresenta Plano de Vacinação contra Covid-19 nesta sexta O evento será realizado às 11h no Palácio de Karnak e terá transmissão a...