sábado, 21 de janeiro de 2017

Em velório, Moro se emociona e diz que Teori Zavascki foi

Juiz da Lava Jato prestou homenagem durante velório do ministro do STF
 
 
O
juiz federal Sérgio Moro foi a Porto Alegre neste sábado (21) para o velório do ministro Teori Zavascki, relaTor da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).
Em breve declaração à imprensa, o magistrado disse que Teori foi um "herói" ao conduzir a relatoria da investigação.
"Vim prestar homenagem ao ministro Teori Zavascki, já me manifestei publicamente a respeito. Acredito que, pela qualidade, relevância e importância pelos serviços que ele prestava, e a situação difícil desses processos, pela importância desses processo, ele foi um verdadeiro herói. Há uma grande desolação da magistratura, todos que o conheciam, especialmente aqui da quarta região, onde ele fez carreira profissional", disse Moro.
Além do magistrado, o presidente Michel Temer, cinco dos ministros do STF, entre outras autoridades, devem participar da solenidade na sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. O sepultamento do ministro ocorrerá às 18h no Cemitério Jardim da Paz, também na capital gaúcha.
Fonte: JL/Notícias ao Minuto

Delação da Odebrecht tem mais de mil páginas e cita 256 atos ilegais

Informações estão em documento do Ministério Público Federal tornado público na Justiça do Paraná na sexta-feira (20)
 
O
conjunto de delações de executivos da Odebrecht tem 1.048 páginas e menciona 256 casos de condutas ilícitas cometidas por funcionários da empresa. Apenas o índice do documento tem 11 páginas.
“Não há qualquer dúvida sobre a extensão e a relevância da colaboração a que se dispõe a empresa, restando, assim, preenchido um dos principais requisitos – se não o principal – para a homologação de um acordo de leniência”, diz o MPF.
Os dados constam em documento do Ministério Público Federal que foi publicado na sexta-feira (20). As informações são do blog de Matheus Leitão, do G1.
No texto, o Ministério Público informou à Justiça do Paraná que a 5ª Câmara de Coordenação e Revisão homologou o acordo de leniência da Odebrecht, trazendo efeitos para as ações cíveis.
Quanto às ações penais, o acordo de leniência ainda depende, no entanto, da homologação do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos julgamentos de primeira instância da Lava Jato.
Fonte: JL/Notícias ao Minuto

MORTE DE TEORI: “Sabotagem não pode ser descartada”, diz especialista

Gustavo Cunha Mello, analista de gerenciamento de risco, avalia as circunstâncias da queda da aeronave que matou o ministro do STF Teori Zavascki
Oacidente de avião que tirou a vida do ministro do STF, Teori Zavascki, e mais quatro pessoas em Paraty, a 250 quilômetros do Rio de Janeiro, desatou todo tipo de especulações sobre sua causas. A aeronave estava em ordem, e o piloto era muito experiente, mas as condições meteorológicas no momento da queda eram complicadas: chovia e havia pouca visibilidade. Testemunhas viram a aeronave fazer uma curva muito acentuada perto da pista de aterrissagem, enquanto outros acreditaram ver fumaça. Gustavo Cunha Mello (foto), economista com MBA em gerenciamento de riscos e que focou parte da sua carreira na análise de acidentes aéreos que aconteceram por todo o Brasil, avalia as informações que se sabem até agora sobre o acidente. Mello, que pericia os aviões acidentados para as seguradoras, não acredita na possibilidade de sabotagem, mas alerta que ela, tampouco, pode ser descartada.
Pergunta. Com os detalhes conhecidos até agora sobre a queda qual é sua impressão sobre o acidente? Fala-se em sabotagem.
Resposta. No momento atual da investigação precisamos aguardar para descartar hipóteses. As historias da conspiração são sedutoras em acidentes como este, é natural que existam essas teorias, sobretudo quando se trata de uma pessoa como o ministro responsável por uma investigação tão importante para o Brasil. Essa teoria não pode ser descartada, mas a probabilidade é muito baixa.
P. Por que?
R. Primeiro porque o aeroporto de Campo de Marte, de onde partiu o avião, é muito seguro. Segundo porque Aeronáutica do Brasil é muito séria e competente. Qualquer intervenção na aeronave é rastreável, pode se saber quem alterou ou colocou qualquer parafuso do avião. Se a investigação descobrir uma sabotagem seria fácil identificar quando e por quem foi feita. É improvável que isso aconteça.
P. O que você acha que aconteceu antes da queda?
R. O avião era super seguro e moderno, porém o aeroporto de Paraty não é. É um aeroporto de cidade pequena, de cidade de veraneio, que as pessoas usam para as sua férias, não é de grande utilização. O aeroporto não tem estrutura de radar e de antenas para voos de aviões com instrumentos como era o caso. O piloto, então, foi obrigado repentinamente a abortar a aterrissagem no aeroporto pela falta de visibilidade e procurar um aeroporto alternativo. O piloto não tinha copiloto, uma figura não obrigatória em voos privados, mas sim recomendável. Nessas circunstâncias meteorológicas o piloto, que era muito experiente, teve uma sobrecarga de trabalho incrível.
P. O que lhe sugerem os relatos das testemunhas do acidente?
R. Houve uma série de relatos de testemunhas dizendo que o avião fez uma curva muito acentuada. Se você olha as imagens divulgadas da aeronave a ponta da asa está retorcida, o que sugere que ela pode ter tocado o mar quando fez a curva e ter pilonado, termo usado na aeronáutica para capotagem. Outra hipótese é que com uma curva muita acentuada a aeronave possa ter estolado, que é quando o avião perde sustentação, a velocidade dele não sustenta o peso e ele cai como uma pedra.
P. Há testemunhas que dizem ter visto fumaça.
R. Para um leigo a fumaça pode ser facilmente confundida com o arrasto da asa numa nuvem de chuva. Ainda que tivesse fumaça no motor ele tem outro motor que poderia funcionar perfeitamente. Não acho que tenha sido o caso, acredito que foi mais uma ilusão visual da testemunha.
P. A região do acidente já foi conhecida como o “Triângulo das Bermudas”. Se é tão óbvio que é uma zona perigosa e que os aeroportos não são apropriados, porque continuam acontecendo tantos acidentes ali?
R. A região é perigosa porque o tempo fecha rapidamente, tem montanhas, e chuvas muito fortes principalmente no verão. Como tem praias lindíssimas, há uma demanda muito alta e tem um tráfego aéreo muito intenso. O problema é que a Aeronáutica faz o trabalho de treinar e advertir, mas eventualmente os acidentes continuam acontecendo.
Fonte: JL/ElPaís

POLÊMICA QUEIMA DE ARQUIVO: Vidente que previu morte de Teori diz que o pior está por vir

Carlinhos diz em vídeo que tinha previsto morte de Ministro e garante que ele foi assassinado
 
 
 
N
esta quinta-feira, 19, o vidente Carlinhos, que supostamente teria previsto a queda do avião do time da Chapecoense, diz que previu ainda a morte do Ministro do STF, Teori Zavascki. Ele vai além e conta que o pior está por vir, pois novas pessoas seriam mortas a fim de impedir que políticos importantes e empresários ricos possam ser condenados e presos na Operação Lava-Jato. Segundo Carlinhos, o acidente com Teori, na verdade, teria sido um assassinato e que isso seria descoberto em pouco tempo. "Isso foi tudo uma queima de arquivo e a família dele sabe disso", conta o paranormal novamente produzindo uma enorme polêmica nas redes sociais.
Carlinhos ainda divulgou através nas redes sociais o que seria a previsão dele sobre o que aconteceria com Teori. Nas imagens, ele diz que um juiz que trabalha na Lava-Jato sofreria um atentado. O nome desse, no entanto, não foi revelado. Carlinhos fala que a família do Ministro estava fazendo ameaças e que novos nomes podem sofrer represália. Francisco, filho do Ministro, chegou a publicar mensagens que elevam o grau das "teorias da conspiração" em volta do acidente aéreo, que aconteceu no mar de Paraty, no Rio de Janeiro.
Na mensagem publicada no Facebook, Francisco dizia que, caso algo acontecesse, todos já sabiam o que teria acontecido. Em entrevista, o filho do Ministro deu outra versão, falando que acidentes acontecem. No entanto, mais tarde, ele mesmo compartilhou uma mensagem dizendo que sua família estava sendo ameaçada. Entidades pedem uma grande apuração da tragédia.
Veja abaixo o vídeo que mostra o #Vidente Carlinhos dizendo que a morte de Teori Zavascki foi 'queima de arquivo'. Ele lembra ainda que previu a queda da aeronave do representante do Supremo Tribunal Federal e fala que outros fatos iguais ou piores vão se repetir. Na sua opinião, Carlinhos tem mesmo poderes paranormais, ou ele "atira para todos os lados e acaba acertando? Não esqueça de deixar o seu comentário. A sua mensagem é sempre importante para todos nós e ajuda a construir o diálogo.
Fonte: JL/Blastingnews

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Cocal dos Alves e mais 52 municípios piauienses tem recursos suspensos pelo Ministério da Saúde

Em portaria publicada nessa terça-feira (18) no Diário Oficial da União, o Ministério da Saúde suspendeu o repasse de recursos financeiros para 53 municípios do Piauí. Foi alegado irregularidades na concessão de informações ao Sistema Ambulatorial. Em todo o Brasil, são 1012 municípios que tiveram os recursos financeiros do componente de Vigilância Sanitária e do Bloco de Vigilância em Saúde.
O monitoramento realizado em dezembro do ano passado lista os municípios piauienses em situação irregular quanto à informação da produção de vigilância sanitária dos meses de junho a outubro de 2016, apresentando três meses consecutivos sem informações no sistema. Com isso, muitos gestores recém-empossados recebem uma penalidade por obrigações não cumpridas pela administração anterior.
Com a publicação, a medida passa a ter validade, assim os municípios terão que regularizar a situação junto ao Ministério da Saúde para voltar a receber os recursos referentes ao componente de Vigilância Sanitária e do Bloco de Vigilância em Saúde.

Confira a lista dos municípios piauienses prejudicados:

Acauã, Alto Longá, Alvorada do Gurgueia, Anísio de Abreu, Aroazes, Assunção do Piauí, Barra D'Alcântara, Barreiras do Piauí, Barro Duro, Batalha, Bocaina, Bom Princípio do Piauí, Buriti dos Montes, Campo Largo do Piauí, Capitão Gervásio Oliveira, Cocal dos Alves, Colônia do Gurgueia, Cristino Castro, Dirceu Arcoverde, Dom Inocêncio, Fartura do Piauí, Floresta do Piauí, Gilbués, Guaribas, Hugo Napoleão, Jacobina do Piauí, Jatobá do Piauí, Juazeiro do Piauí, Lagoinha do Piauí, Lagoa do Sítio, Luzilândia, Matias Olímpio, Miguel Alves, Morro Cabeça no Tempo, Nazária, Novo Santo Antônio, Olho D´Água do Piauí, Padre Marcos, Palmeira do Piauí, Passagem Franca do Piauí, Pau D'Arco do Piauí, Santa Cruz do Piauí, Santa Luz, São Francisco de Assis do Piauí, São Gonçalo do Gurgueia, São Gonçalo do Piauí, São João da Fronteira, São João da Serra, São José do Piauí, São Lourenço do Piauí, Sigefredo Pacheco, Uruçuí e Wall Ferraz.

Fonte: 45graus.com.br

Novos membros do Conselho Municipal de Assistência Social tomam posse em Cocal

 
Nessa terça-feira, o prefeito Rubens Vieira deu posse aos 20 novos membros que irão compor o Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) para o biênio 2017/2018. A solenidade de posse aconteceu no gabinete do prefeito Rubens Vieira e reuniu representantes das entidades ligadas à assistência social e profissionais da rede socioassistencial de Cocal.
O Conselho é um órgão de controle social da Política Municipal de Assistência Social. É uma instância deliberativa de composição paritária formada por 10 representações titulares e 10 suplentes.
De acordo com a assessora da Secretaria Municipal de Assistência, Márcia Aguiar, dentre os segmentos que compõem o Conselho, cinco são representações do Poder Executivo Municipal indicados pelo prefeito e cinco são representantes de segmentos não governamentais escolhidos na Assembleia Geral das Entidades, que tenham trabalhos voltados para usuários de políticas municipais de assistência social.
“A Assembleia Geral que escolheu as entidades representativas foi realizada no último dia 10 desse mês. Na ocasião, foram escolhidas tanto as entidades como os segmentos de usuários do Programa Bolsa Família e Serviço de Convivência. Cada representação escolhida realizou uma assembleia interna para escolha dos conselheiros titular e suplente”, esclarece Márcia Aguiar.
Fonte: ASCOM | PMC

Prefeito busca nova etapa do Programa Luz para Todos em Cocal

 
Nesta quarta-feira (18), o prefeito de Cocal, Rubens Vieira, se reuniu com o presidente da Eletrobras Piauí, Arquelau Amorim. Na pauta, a implantação de novas etapas do Programa Luz para Todos, do Governo Federal, em comunidades do município.
De acordo com o gestor, a meta é fazer com que todas as residências do município de Cocal tenham o suporte de energia elétrica. “Ampliamos bastante nossa cobertura, mas algumas regiões ainda estão sem energia. O Programa Luz para Todos é um excelente projeto, que precisamos retomar também em Cocal”, afirma Rubens Vieira.
O Programa Luz para Todos, do Governo Federal, leva energia elétrica gratuitamente a 14,9 milhões de brasileiros em áreas rurais de todo o país. O programa é coordenado pelo Ministério de Minas e Energia e operacionalizado pela Eletrobras, por meio de suas controladas.
Ainda durante a reunião, Rubens Vieira tratou com o presidente da Eletrobras sobre a retirada das chamadas “gambiarras”, ou instalações elétricas irregulares, que podem causar risco à população. “A parceria com a Eletrobras contra as gambiarras é de suma importância. Queremos resolver esse problema e dar energia de qualidade a todos os cocalenses”, conclui.

Fonte: ASCOM

Morte de Teori Zavascki converte Lava Jato em um mistério

 Pressão recai sobre Michel Temer, que escolherá substituto de magistrado, e Cármen Lúcia

A morte do relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, num acidente de avião nesta quinta-feira, deu mais um giro na intrincada novela da crise política brasileira e criou um imbróglio jurídico-político para a operação, para o presidente Michel Temer (PMDB) e para a presidenta da mais alta Corte brasileira, Cármen Lúcia. Neste cenário de perplexidade, haverá pressão para que Cármen, com poder a seu dispor para escolher um nome do tribunal para substitui-lo na investigação, e Temer, que indicará um novo nome para o Supremo, tomem decisões rápidas.
O ministro de 68 anos era apontado como um magistrado experiente (foi desembargador no Tribunal Regional Federal da região Sul e ministro do Superior Tribunal de Justiça), técnico, seguro e discretíssimo. Características essas que fizeram com que fosse pouco questionado em suas decisões referentes a maior investigação de corrupção no Brasil, daí a tarefa complicada de preencher sua vaga sem gerar ruídos. Quando foi indicado pela então presidenta Dilma Rousseff (PT) para integrar a Corte, em 2012, quase não surgiram vozes contrárias ao nome de Zavascki no meio jurídico. No campo político, apenas quatro senadores votaram contra a sua nomeação, e 57 foram favoráveis a ela. Entre os cinco indicados por Rousseff para assumir uma vaga na maior corte brasileira, apenas Luiz Fux, em 2011, teve um número menor de rejeição entre os senadores – só dois foram contra ele.
Nos bastidores do Congresso Nacional é comum ouvir relatos de que senadores e deputados têm trânsito livre com alguns dos ministros do STF. Jantam juntos, fazem reuniões extraoficiais em seus gabinetes e até têm relações de amizade. Com Zavascki, contudo, dificilmente se ouvia comentários do tipo. Era fechado em copas. O grampo feito pelo ex-senador Sérgio Machado (PMDB) no senador Romero Jucá (PMDB), quando falaram de um “pacto” para deter a Lava Jato, demonstra bem essa autoblindagem imposta pelo ministro. Dizia Machado: “Um caminho é buscar alguém que tem ligação com o Teori, mas parece que não tem ninguém”. Ao que Jucá respondeu: “Não tem. É um cara fechado, foi ela [Dilma] que botou, um cara... burocrata”. Os dois peemedebistas são alvo da operação.
Neste panorama é que, em meio ao luto, todos os passos de Cármen Lúcia, na chefia do tribunal a relativo pouco tempo, e de Michel Temer, cujo Governo está implicado diretamente na Lava Jato, serão seguidos com lupa. Já começaram os discursos políticos que cobram que Lava Jato seja protegida para que não acabe travada por “uma trapaça da sorte” - para usar as palavras do ministro do STF, Roberto Barroso, para lamentar o acidente que matou Teori. A Cármen caberá decidir se vai usar do poder de seu cargo para escolher de ofício o novo relator da Lava Jato que dará andamento à "delação do fim do mundo", o acordo de 77 executivos da Odebrecht que deve entregar mais de uma centena de políticos. De pronto, a ausência do magistrado deve fazer com que se atrase o processo do qual ele tinha interesse de dar andamento célere já em fevereiro. Já Temer, atolado no caos penitenciário, na crise financeira, na briga pela presidência da Câmara e na escolha de seu novo ministro da Secretaria de Governo, terá mais uma crise a administrar – a de indicar o sucessor do ministro no Supremo. Sempre que uma vaga se abre, inúmeros candidatos aparecem.
A central da boataria de Brasília já se precipitou em lançar dois concorrentes: o atual ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e o juiz responsável pela Lava Jato na primeira instância, Sérgio Moro. Os nomes de nenhum dos dois devem prosperar. O primeiro, apesar de advogado constitucionalista, tem um perfil bastante político, é filiado ao PSDB. O segundo, ficaria impedido de julgar qualquer processo da própria Lava Jato, pois teria de analisar boa parte de suas próprias decisões. Assessores de Temer dizem que ele fará sua indicação de maneira célere e priorizará critérios técnicos.
Uma outra frente dentro desse imbróglio, será a da investigação do acidente envolvendo o ministro e outras cinco pessoas. A Aeronáutica e a Polícia Federal instauraram inquéritos para investigar a queda da aeronave em Paraty, no Rio de Janeiro. Neste contexto, segundo fontes da PF, estarão as supostas ameaças recebidas por Zavascki e seus familiares em maio do ano passado. Em uma mensagem em suas redes sociais, o advogado Francisco Prehn Zavascki, filho do ministro, escreveu: “Acredito que a lei e as instituições vão vencer. Porém, alerto: se algo acontecer com alguém da minha família, vocês já sabem onde procurar… Fica o recado!”. Na época, o ministro disse que não tinha recebido nenhuma ameaça séria.
Fonte: JL/ElPaís

Morte do Ministro Teori: Acidente ou Conspiração/Assassinato? Por Miguel Dias Pinheiro, advogado20 de Janeiro de 2017,

Na literatura jurídica criminal, a “Teoria da Conspiração” é uma hipótese explicativa ou especulativa que sugere que pessoas ou organizações tramam para causar ou acobertar, por meios secretos, uma situação ou evento tipicamente considerado ilícito, ilegal ou prejudicial.

São várias as hipóteses que podem designar uma conspiração. Entre elas, destacam-se a “conspiração para o crime”, que é a associação criminosa com o intuito de lesar fisica e patrimonialmente; a “conspiração política”, que é o entendimento secreto entre várias pessoas visando promover a desestabilização ou a queda de um poder, de um govern ou de um governante eleito; a “conspiração por conluio”, que implica em uma trama financeira ou econômica entre empresas; etc, etc.

Meses atrás, o presidente Michel Temer foi acusado de ter conspirado contra Dilma Rousseft para tomar o Palácio do Planalto com aliados investigados e denunciados na Lava Jato, operação que investiga corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de dividas, propina e outros crimes contra o patrimônio nacional.

O avião que caiu e matou o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, relator da Lava Jato, para a aviação civil, é uma das aeronaves de pequeno porte mais modernas e seguras do mundo. Única que o serviço secreto norte-americano autoriza o presidente dos Estados Unidos usá-la.

Não pretendo dizer com isso que os traidores e conspiradores no Brasil mataram o ministro do Supremo. Nada disso! Aliás, longe disso! Porém, o ministro Teori estava prestes a liberar as delações contra políticos com foro privilegiado. Muitos deles, por exemplo, citados 20, 30, 40 vezes em uma só delação por empreiteiro corrupto.

Na sugestão do acadêmico de Direito Francisco Júnior, antes de especular se foi fulano ou sicrano, melhor ater-se a fatos concretos. Júnior relembra o projeto "Estancando a Sangria" idealizado no submundo do crime pelo senador Romero Jucá, o “homem-forte” de Temer e enrolado com o próprio presidente da República na corrupção da Lava Jato.

Em telefonemas trocados, o senador Romero Jucá e o empresário Sérgio Machado tramaram para “estancar a sangria”. Lembram-se disso?! Naqueles telefonemas, o ministro Teori Savascki foi tratado por eles como “um homem que não tinha ligação com ninguém, um cara fechado, um burocrata”. Por isso, nas entrelihas, um juiz incorruptível.

O ministro do Supremo que sofreu ameaças junto com sua família e que estava prestes a retirar o sigilo de mil delações nas próximas semanas, morre na queda de um avião de forma surpreendente e, porque não dizer, misteriosa.

Há ainda um detalhe intrigante: o fato ocorreu na mesma região de mar onde também “caiu” o helicóptero que matou Ulysses Guimarães. O “Senhor-Diretas” morreu entre Angra dos Reis, Costa Verde fluminense, e São Paulo. Em rota aérea, a distância entre Angra dos Reis e Paraty é somente de 48 km, local agora da tragédia com o ministro.

Coincidência à parte, vamos relembrar os áudios vazados das conversas entre Jucá e Machado. Onde alí mostrou-se a “conspiração criminosa” que construiria um plano para salvar políticos, empresários e parlamentares mergulhados até o pescoço na corrupção da Lava Jato, inclusive o próprio presidente da República, Michel Temer.

Portanto, é intrigante a morte de Teori. Teria sido ele vítima de uma “conspiração/assassinato”? Apenas uma indagação, claro! Porém, não custa nada investigar. Aliás, poderá custar muito caro para os bandidos envolvidos com o crime contra o Erário e que queriam o ministro em “outro mundo”.

Naquelas conversas conspiratórias dizia-se ser necessário:

1) Tirar Dilma (dito e feito);

2) Colocar Michel (dito e feito);

3) Entregar o Cunha (dito e feito);

4) Blindar o Renan - que seria o próximo alvo depois do Cunha (dito e feito);

5) Parar o Teori (dito e feito – o homem morreu ou mataram).

Como parar Teori? Isso intrigou e chamou muito a atenção. Acusando-o de parcialidade; aposentando-o ou expulsando-o da Corte; ou, em último caso, assassinando-o. São hipóteses, porque as conspirações são assim, não se iluda, vão às últimas consequências.

Então, você poderá se perguntar: “Mas, por quê do possível assassinato de Teori Zavascki?

Se foi acidente aéreo, tudo bem! Mas, se mataram-no, lembre-se que Teori não era somente o relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal. O ministro também relatava a ação que examina o “golpe politico” e a “conspiração” que deflagrou o impeachment e derrubou Dilma. Ou seja, os golpistas – isso fica cada dia mais provado – tomaram o poder para protejerem-se da Lava Jato. Não conseguem e podem ter conspirado para “tirar Teori de circulação”, como se diz no jargão da bandidagem.

Por que mataram John Kennedy? Talvez essa pergunta nunca seja respondida, assim como inúmeras mortes em circunstâncias misteriosas.

Conspiração é, portanto, uma teoria que supõe que um grupo de traidores-conspiradores se reúne para elaborar um plano. Que pode ser qualquer coisa, desde a manipulação de governos, economias, sistemas legais e até assassinatos. Dele pode-se esperar tudo, desde que fique à salvo.

A Criminologia ensina que algumas mortes que estão oficialmente registradas nos anais policiais e judiciários como acidente, suicídio ou de causas naturais são também objeto de conspirações devido ao seu caráter “misterioso”.

No mundo e no Brasil várias mortes de figuras públicas proeminentes ainda hoje geram dúvidas, são tidas e havidas como misteriosas:

Abraham Lincoln;

Adolf Hitler;

Bruce Lee;

Elvis Presley;

John Kennedy;

Michael Jackson;

Princesa Diana;

João Paulo I;

Clara Nunes;

Getúlio Vargas;

Ulysses Guimarães;

Tancredo Neves;

Juscelino Kubitschek;

João Goulart; etc.

Convém que não esqueçamos disso! Diz-se que o Brasil tem, hoje, um “governo sombra”, que se baseia na noção de que o poder político não sobrevive somente com representantes eleitos, mas também com pessoas que exercem o poder “na escuridão” e fora do controle das instituições democráticas.

TRAGÉDIA PF apura que avião em que ministro Teori Zavascki embarcou era seguido há 16 dias


A Polícia Federal quer saber quem acessou a foto do avião que vitimou Teori na base de dados do Beechcraft
O
furo de reportagem é do jornalista Cláudio Tognolli, do Yahoo.
 
A Polícia Federal quer saber quem acessou a foto do avião que vitimou Teori na base de dados do Beechcraft.
 
De acordo com informações, a ficha contendo dados e a imagem da aeronave foi acessada quase 1.900 vezes em um único dia.
Alguém estava atrás desses dados desde o dia 3 de janeiro.
Repare abaixo no prefixo do avião – PRSOM
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: JL/Diário do Brasil

Barqueiro viu todo o acidente: “Não foi o mau tempo. O avião soltava muita fumaça antes de cair”

TRAGÉDIA

Célio narrou que os turistas ficaram em polvorosa e ele ligou imediatamente para a Defesa Civil
 
C
Célio de Araújo, um trabalhador que vive em Paraty, estava com um grupo de turistas em seu barco, quando avistou uma aeronave voando baixo.
“Quando avistei o avião baixando, eu avisei: ‘Vai cair’.
“Quando reparei, ele soltou uma bola de fumaça branca, parecia aqueles aviões da esquadrilha.”
“Passou por cima do meu barco e foi perdendo altitude, bateu a asa no mar e capotou”, contou o barqueiro.
Célio narrou que os turistas ficaram em polvorosa e ele ligou imediatamente para a Defesa Civil.
“Liguei, me identifiquei e expliquei o que tinha acontecido. Eles chegaram rápido”, disse.
Questionado se chovia muito na hora do acidente, Célio respondeu:
“Chovia bastante no local que o avião caiu […] mas, durante o resgate, a chuva aumentou bem mais”.
“Pelo que vi, o acidente teve mais a ver com a quantidade de fumaça que o avião soltava do que com o mau tempo. Na minha opinião, teve um problema na aeronave”, encerrou.
Fonte: JL/Diário do Brasil

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

'Se algo acontecer com alguém da minha família...', disse filho de Teori no Facebook


MEU BLOG
Casa do cartucho
comserv
UNIMED ORTOPEDIA
Em uma postagem feita no Facebook, em maio do ano passado, Francisco Prehn Zavascki relatou sobre ameaças sofridas pela família.
Filho do ministro Teori Zavascki, que morreu em um acidente aéreo na tarde desta quinta-feira (19/01), Francisco falou claramente sobre "movimentos" para tentar barrar as investigações da Lava Jato, investigação a qual o pai era relator no STF.
“É obvio que há movimentos dos mais variados tipos para frear a Lava Jato. Penso que é até infantil imaginar que não há, isto é que criminosos do pior tipo, (conforme o MPF afirma), simplesmente resolveram se submeter à lei. Acredito que a lei e as instituições vão vencer, porém, alerto: se algo acontecer com alguém da minha família, você já sabem onde procurar...! Fica o recado!”, dizia a publicação.
Teori já havia falado publicamente sobre as ameaças, mas disse que não era nada sério.
filhodeteori.jpg

Temer decreta luto de três dias e diz que Teori era 'homem de bem'

Ministro do Supremo morreu após queda de avião em Paraty; em rápido pronunciamento no Palácio do Planalto, presidente manifestou solidariedade à família das vítimas.

Temer fala sobre morte do ministro Teori Zavascki
O presidente Michel Temer decretou, no ínicio da noite desta quinta-feira (19), luto oficial de três dias em decorrência da morte do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF).
Em um rápido pronunciamento no Palácio do Planalto, Temer disse que o magistrado era um "homem de bem" e um "orgulho para todos os brasileiros" (veja a íntegra do pronunciamento ao final desta reportagem).
O presidente estava acompanhado do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, da advogada-geral da União, Grace Mendonça, e do ministro das Relações Exteriores, José Serra.
Relator da Lava Jato no STF, Teori Zavascki morreu na tarde desta quinta, aos 68 anos, após a queda de um avião em Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro. A morte de Teori foi confirmada pelo filho do magistrado Francisco Zavascki em uma rede social.
"O ministro Teori era um homem de bem e era orgulho para todos os brasileiros. Nós estamos decretando luto oficial por um período de três dias, uma modesta homenagem a quem tanto serviu à classe jurídica, aos tribunais e ao povo brasileiro", afirmou o presidente.
"Neste momento de luto, manifesto, eu e minha equipe, aos familiares do ministro e dos demais integrantes do voo, meus sentimentos de pesar e associo-me a todos os brasileiros ao lamentar a perda de um homem público cuja trajetória impecável a favor do direito e da justiça sempre o distinguiram", disse.

Ex-presidentes

Após a confirmação da morte de Teori Zavascki, os ex-presidentes Dilma Rousseff, Luiz Inácio Lula da Silva e José Sarney divulgaram nota para lamentar o acidente.
Dilma, responsável por indicar Teori para ocupar uma cadeira no STF, disse que o ministro se consagrou como um "intelectual do Direito, zeloso das leis e da Justiça".
"Tive o privilégio de indicá-lo para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), com ampla aprovação do Senado. Desempenhou esta função com destemor como um homem sério e íntegro. Lamento a dor da família e dos amigos, recebam meus sentimentos de pesar e respeito", disse a ex-presidente na nota.
Lula, por sua vez, afirmou por meio de nota que Teori "honrou a Magistratura em todos os postos que ocupou". Já Sarney disse que tinha "grande admiração" pelo ministro e que ele "prestou um grande serviço à magistratura brasileira com sua experiência, e cultura jurídica".
Veja abaixo a íntegra do pronunciamento do presidente Michel Temer:
Nós queremos fazer uma declaração a propósito desse doloroso acontecimento e dizer que recebemos com profundo pesar a notícia do falecimento do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal.
Neste momento de luto, manifesto, eu e a minha equipe, aos familiares do ministro e dos demais integrantes do voo, meus sentimentos de pesar e associo-me a todos os brasileiros ao lamentar a perda de um homem público, cuja trajetória impecável a favor do Direito e da Justiça sempre o distinguiram.
Ministro Teori Zavascki era um homem de bem e era um orgulho para todos os brasileiros. Nós estamos decretando luto oficial por um período de três dias. Uma modesta homenagem a quem tanto serviu à classe jurídica, aos tribunais e ao povo brasileiro.
Muito obrigado.

Secretaria de Saúde faz alerta e intensifica vacinação contra febre amarela no Piauí

Doses da vacina estão disponíveis nos postos de saúde
Da Redação do Portal AZ19 de Janeiro de 2017
A Secretaria de Estado da Saúde intensificou medidas para barrar a entrada e a circulação do vírus da febre amarela no Piauí. O órgão está orientando a população que procure as unidades básicas de saúde para que se vacine contra a doença.
No Piauí, cerca de 58 municípios estão em alerta com a possibilidade da presença da febre amarela.

No período de 2008 a 2016, foram notificados sete casos suspeitos, mas todos descartados. No entanto, por precaução, recomenda-se que os municípios orientem a sua população a procurar as unidades básicas para receber a vacinação, não só para as cidades presentes na relação divulgada pelo Ministério da Saúde, mas toda a população do Estado.

A vacina de febre amarela faz parte calendário nacional de imunização e as doses são distribuídas regulamente nas unidades básicas de saúde dos municípios. Estão disponíveis no estoque 18.420 vacinas e agora no mês de janeiro serão distribuídas mais 27.750 para reforço da cobertura vacinal.

O esquema vacinal contra a febre amarela é de uma dose aos noves meses de idade com reforço aos quatro anos. Para pessoas de 2 a 59 anos, a recomendação é de duas doses. Devem se vacinar pessoas que querem atualizar o cartão de vacina e principalmente as que irão viajar para esses locais que estão em alerta ou com casos da doença no Brasil.

“O Estado se antecipa e reforça a distribuição das doses das vacinas para esses 58 municípios, mas não vai só se deter a ações apenas nesses municípios, iremos fortalecer nossas unidades de vacinas com material imunobiológico a mais para que possamos garantir a vacinação à população”, declara Herlon Guimarães, diretor da Unidade de Vigilância e Atenção à Saúde.

A Secretaria de Estado da Saúde também realizará algumas medidas voltadas às epizootias, que são doenças causadas por animais. No caso da febre amarela, em particular, macacos, por serem hospedeiros na forma silvestre do vírus, serão capturados e por meio de coleta de sangue, serão feitos estudos para que se possa identificar se há a presença do vírus circulante dentro do Estado do Piauí.

CORRUPÇÃO Deprimido, Sérgio Cabral tem crises de choro no presídio

Preso no complexo de Bangu, ex-governador estaria em depressão profunda, segundo colunista
 
O
ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral está tendo crises de choro e continua completamente deprimido. Ele está preso no complexo penitenciário de Bangu, após ser preso durante a Operação Calicute, acusado de participação em esquema de corrupção.
Segundo o colunista Mauricio Lima, da coluna Radar On-line, na revista Veja, a situação de Cabral tem chamado a atenção de quem é pago para vigiá-lo. 
As piores crises de choro, com soluços em alto volume, podem ser ouvidas por carcereiros que ficam a até 50 metros de distância da cela de Cabral.
 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...