quinta-feira, 23 de março de 2017

Profissionais da saúde realizam ação sobre os cuidados com a tuberculose em Cocal

Na próxima sexta-feira, dia 24 de março, Dia Mundial de Combate à Tuberculose, a Prefeitura de Cocal, através da Secretaria Municipal de Saúde, irá oferecer para toda a população orientações sobre os cuidados com a tuberculose. A ação será realizada na Praça da Matriz, a partir das 8 horas.

Jefse Vinnute, secretário municipal de Saúde, explica que a ação é aberta para toda a comunidade, em especial, para as pessoas que já foram diagnosticadas com a doença, através da rede de atenção básica de saúde de Cocal. 

“Todos os profissionais da atenção básica em saúde de Cocal estarão engajados nessa estratégia, que também inclui todos os médicos, enfermeiros, nutricionistas e fisioterapeutas da rede municipal”, frisa Jefse Vinnute. 

Na ação, também será feita a verificação de pressão arterial, glicemia capilar, avaliação antropométrica, índice de massa corporal e aplicação de flúor dentário. A comunidade também participará de palestras sobre alimentação. 

A tuberculose 
A tuberculose é uma doença infectocontagiosa que afeta principalmente os pulmões. A transmissão da tuberculose é direta, o doente expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotículas de saliva que podem ser aspiradas por outro indivíduo. 

De acordo com o Ministério da Saúde, os sinais e sintomas mais frequentes são: tosse seca ou com secreção por mais de três semanas, podendo evoluir para tosse com pus ou sangue; cansaço excessivo; febre baixa; suor noturno; falta de apetite; emagrecimento acentuado e rouquidão. 

Prevenção e tratamento 
A vacina BCG é obrigatória para menores de um ano, pois protege as crianças contra as formas mais graves da doença. A melhor forma de prevenir a transmissão da doença é fazer o diagnóstico precoce e iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível. Com 15 dias após iniciado o tratamento, o paciente já não transmite mais a doença. O tratamento deve ser feito por um período mínimo de seis meses, diariamente e sem nenhuma interrupção.

Fonte: ASCOM

APPM participa em Brasília de Assembleia Geral Extraordinária da ABM

O presidente da Associação Piauiense de Municípios (APPM) e prefeito de São João do Piauí, Gil Carlos, participou na manhã desta quarta-feira (22) da I Assembleia Geral Extraordinária de 2017 da Associação Brasileira de Municípios (ABM). O evento acontece em Brasília e reúne prefeitos filiados de todo o Brasil. 
No referido evento e em ocasião da recomposição da diretoria da entidade nacional, o Piauí, através do presidente da Associação Piauiense de Municípios (APPM), terá assento de destaque. Gil Carlos foi escolhido como vice-presidente - região nordeste, por prefeitos que compõem a diretoria da ABM para o triênio 2015/2018. 
O atual presidente do órgão, Eduardo Tadeu Pereira, reconhece a APPM como uma das Associações municipalistas mais fortes e consolidadas do Brasil. “A Associação de Prefeitos do Piauí é uma entidade que tem se fortalecido muito ao longo dos anos, levantando bandeiras municipalistas importantíssimas para o desenvolvimento das cidades do Piauí. Desta forma, a ABM reconhece sua importância à frente dos movimentos nacionais, na pessoa do seu presidente Gil Carlos, que tem desenvolvido um bom trabalho naquela casa”, destaca Eduardo. 

Fechando os trabalhos da Assembleia, haverá uma apresentação, aos associados presentes, da prestação de contas da atual gestão da entidade, explicações sobre os contratos com a União Europeia e Agência Cerrado, além de diretrizes a serem definidas para 2017. 


Fonte: Ascom da APPM

Carne fraca: cidade goiana não sabe o que fazer com 150 mil perus

A tensão que o embargo da carne causou em todo o país tem testado seus limites na pequena cidade de Mineiros, município de 60 mil habitantes a 450 quilômetros de Goiânia. O clima é de desespero entre os produtores de peru e frango do município, que abastecem o complexo frigorífico da BRF Perdigão, unidade que está com as portas fechadas desde sexta-feira, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Carne Fraca. 

No entra e sai que há uma semana tumultua o escritório da Associação dos Avicultores Integrados da Perdigão em Mineiros (Avip), os produtores de aves buscam alguma resposta sobre o que será feito com os milhares de animais que já estão em fase de abate pelo frigorífico. “O que temos para dizer é simplesmente alarmante”, afirma Fábio Lemos, vice-presidente da associação. “Estamos perdidos. Não temos nenhuma relação com as acusações, mas estamos aqui sozinhos, sem ter a menor ideia do que vai acontecer.” 

A unidade da Perdigão de Mineiros é um dos três frigoríficos que tiveram suas linhas de produção paralisadas por determinação do Ministério da Agricultura, até que se apurem as eventuais falhas sanitárias investigadas pela Polícia Federal. Em operação regular até a semana passada, o frigorífico teve sua licença sanitária aprovada em fevereiro e vinha abatendo diariamente cerca de 25 mil perus, aves que são enviadas ao exterior, principalmente a países da União Europeia. 

Com o fechamento da unidade, as 219 granjas do município travaram as atividades. Nos últimos seis dias, cerca de 150 mil perus que deveriam ter deixado os criadouros para serem abatidos na unidade da BRF tiveram de continuar no campo. Esse problema se agrava diariamente, não apenas por conta do volume de aves acumuladas, mas principalmente pelo peso que os animais passam a ganhar. 

O limite do peso para abate de cada ave, segundo os produtores, é de até 25 kg. Em média, os animais, conhecidos como “peru pesado”, estão com cerca de 20 kg no momento do abate. Ao permanecerem nas granjas, eles ultrapassam 25 kg e não podem mais entrar na linha de produção por conta da configuração técnica da fábrica. Ou seja, não poderão ser processados pela unidade da Perdigão, além de não atenderem às exigências de boa parte dos compradores internacionais. 

Nas fazendas de Mineiros, dentro de galpões ventilados 24 horas por dia e com temperatura mantida constantemente em 27 graus, há 4,3 milhões de perus em alguma fase de sua vida de seis meses até o abate. A produção no frigorífico é permanente e ocorre de segunda a sábado, o ano todo. Por dia, 25 mil aves deveriam seguir para a unidade de processamento, mas estão em cativeiro, e continuam a engordar. Por isso, cada dia de paralisação nesse processo gera um efeito em cascata em toda a cadeia. 

As acusações que envolvem a unidade da BRF em Mineiros são de pagamento de propina a fiscais agropecuários para evitar o fechamento da unidade e facilitar a emissão de autorizações sanitárias. Dois funcionários tiveram prisão preventiva decretada e um vice-presidente foi alvo de condução coercitiva e busca e apreensão. 

Fonte: Veja.com

Educação de Cocal estabelece metas para o ano letivo 2017

A secretária municipal de Educação de Cocal, professora Raimunda Albuquerque, esteve reunida com diretores, supervisores e coordenadores das escolas públicas municipais de Cocal. A reunião aconteceu na tarde desta terça-feira (21), na sede da Secretaria Municipal de Educação.

O encontro teve como objetivo tratar de assuntos pedagógicos das escolas, debater o Programa Novo Mais Educação, acompanhamento pedagógico, falar sobre a Criação do Conselho Municipal de Educação e escolha dos diretores que irão fazer parte da composição do mesmo, discutir o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) da rede pública municipal de Cocal e, ainda, estabelecer metas para 2017.

A secretária Raimunda Albuquerque ressalta que o trabalho da Secretaria de Educação é para melhorar a qualidade do ensino no município. "Nós procuramos ter uma relação direta com os diretores nas escolas para entender as dificuldades e assim conseguir resolver os problemas. Esse diálogo é muito importante pois nossa meta é garantir um ensino de qualidade para nossos alunos", afirma.

Fonte: ASCOM

quarta-feira, 22 de março de 2017

Imóveis de 'Minha Casa' são vendidos ilegalmente pelo Facebook no Piauí

Beneficiário publicou anúncio no Facebook pedindo R$ 16 mil pelo imóvel.
Apartamentos foram destinados à famílias de baixa renda por sorteio.

Ellyo TeixeiraDo G1 PI
Pessoa se diz dono do imóvel e colocou anúncio na internet (Foto: Reprodução/Facebook)

Apartamentos concedidos à famílias de baixa renda por meio do programa do governo federal "Minha Casa, Minha Vida" em Teresina, são anunciados em comunidades de vendas de imóveis no Facebook. O anúncio ao qual o G1 teve acesso, mostra a oferta de um apartamento no Residencial Orgulho do Piauí, Zona Sul da capital, por R$ 16 mil.

Conforme a Caixa Econômica Federal, instituição responsável pelos financiamentos, os beneficiários que têm rendimentos mensais até R$ 1,6 mil, ou seja, aqueles considerados da faixa I do programa, não podem comercializar ou alugar a residência antes de terminar o prazo do financiamento, que é de 10 anos.

As 1.368 unidades habitacionais do Conjunto Orgulho do Piauí, na Zona Sul da capital, foram entregues no dia 8 desse mês. O anúncio com a oferta do apartamento foi publicado no sábado (18). O G1 entrou em contato com o vendedor, que se identificou como proprietário do imóvel. Segundo o homem, a venda das casas "é normal" e chegou a garantir que o comprador não teria nenhum problema.

“Não tem nenhum problema para quem comprar porque a gente assina todos os documentos direitinhos e o comprador assume as prestações. No caso do meu, faltam pelo menos 110 prestações de R$ 25. São dois quartos, um banheiro, e uma cozinha. O apartamento é bem bonzinho”, falou.

Ainda segundo o vendedor, outras pessoas beneficiadas pelo programa já negociaram seus imóveis. “Meu sobrinho mesmo já vendeu o dele. Muita gente está procurando. Eu mesmo já recebi uma proposta de um cara de Floriano. Estava oferecendo por R$ 20 mil, mas quero vender mais rápido e baixei o preço para R$ 16 mil”, relatou.
Residencial Orgulho do Piauí fica localizado na Zona Sul de Teresina (Foto: Catarina Costa/G1 PI)

A reportagem do G1 tentou contato com a Caixa Econômica para saber se há alguma fiscalização para coibir a venda ilegal dos imóveis, no entanto, até a publicação da matéria nenhum retorno foi dado.

Entrega de casas
Após 40 dias de atraso na entrega do Residencial Orgulho do Piauí, a Caixa Econômica Federal iniciou no começo do mês o novo cronograma referente às vistorias, assinatura de contrato e transferência de chaves aos beneficiários.

A entrega de 1.368 unidades habitacionais do programa 'Minha Casa, Minha Vida' estava prevista para o dia 29 de janeiro, mas não aconteceu por falta da instalação dos transformadores de energia pela Eletrobras.

Lei quer proibir venda de bebida alcoólica para pessoas armadas

Projeto de lei foi aprovado nesta terça-feira (21) na Câmara de Teresina.
Entidades policiais são contra a lei, mas OAB diz que norma é constitucional.

Pedro SantiagoDo G1 PI
Câmara Municipal de Teresina (Foto: Catarina Costa/G1 PI)

Foi aprovado em primeira votação nesta terça-feira (21) na Câmara Municipal de Teresina um projeto de lei que proíbe a venda de bebida alcoólica em casas de shows, bares, restaurantes e em eventos artísticos ou culturais a pessoas que estejam portando armas de fogo ou de qualquer outra espécie.

O projeto de lei, que ainda vai para o plenário mais uma vez, causa polêmica porque as entidades que defendem os policiais afirmam que a nova lei é inconstitucional e atenta contra uma lei federal que assegura o porte de arma para os agentes da lei sob qualquer circunstância. Já a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Piauí (OAB-PI), e um professor de direito constitucional da Universidade Federal do Piauí (UFPI), consultado pelo G1, afirmaram que o PL é constitucional.
PM é investigado por ameaçar foliões em prévia de
carnaval na capital (Foto: Reprodução/TV Clube)

“A ideia surgiu ao constatar que é comum a atitude de policiais armados ameaçando e intimidando pessoas em bares e casas noturnas em Teresina. Esses excessos acontecem muito em bairros da cidade, mas esse ano teve uma repercussão maior durante bailes e blocos de carnaval. Nosso objetivo é evitar esse tipo de constrangimento e até evitar possíveis tragédias”, disse o autor do projeto, vereador Jeová Alencar (PSDB), que também é presidente da Câmara.

O parlamentar se referiu ao caso do policial militar do Maranhão embriagado, que sacou uma arma e ameaçou foliões durante a festa em um club, localizado na Zona Norte da Teresina no mês de fevereiro. Já neste mês de março, a Polícia Civil abriu um inquérito para investigar um perito médico legal que se envolveu em uma confusão durante um evento em uma boate na Zona Leste da capital.

Para o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Piauí (Sinpolpi), Constantino Júnior, a Câmara Municipal não tem poder para legislar sobre a proibição do porte de arma. “O policial anda armado, pois assim a lei garante porque ele tem como dever proteger a sociedade e a arma é seu instrumento de trabalho. Caso seja necessário, vamos ingressar com uma ação de inconstitucionalidade da lei porque fere vários direitos”, afirmou ele se referindo à Lei Nº 10.826, de 22 de dezembro 2003, que garante o porte de arma para integrantes das forças policiais em todo o Brasil.
Presidente do Sinpolpi afirmou que lei é
inconstitucional (Foto: Catarina Costa / G1)

O presidente da Associação Beneficente Cabos Soldados da PM Piauí, Agnaldo José de Oliveira, concordou com o argumento de Constantino e disse ainda que câmara mira no alvo errado ao tentar coibir o porte de arma para policiais.

“A prefeitura não tem respaldo de proibir uma coisa dessas. Nós temos um suporte da lei federal, que nos dá esse direito. Uma lei municipal não pode ir de encontro a uma lei federal. A cidade de Teresina muitos problemas, de todos os tipos, mas assegurar que o problema da segurança não são os policiais”, disse.

O projeto aprovado foi uma sugestão da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Piauí (OAB-PI), que enviou para a diretoria da Câmara uma lei igual aprovada na cidade Curitiba. O advogado Vitor Tabatinga, presidente da Comissão de Relações Institucionais da OAB-PI, defendeu a constitucionalidade da lei.

“Essa lei já passou por outras Comissões de Constituição e Justiça de outras câmaras. A segurança e a vida são direitos garantidos pela constituição e eles ficam em risco quando uma pessoa armada ingere bebida alcoólica. Assim, o direito individual não pode se sobrepor ao direito coletivo. Além disso, a pessoa pode ingerir bebida alcoólica, mas não estando armada”, disse para o G1.

Linha semelhante segue o professor de direito constitucional da Universidade Federal do Piauí (UFPI) Berto Igor. Para ele, a lei aprovada não é inconstitucional porque o projeto tem como objetivo a segurança de todos em detrimento da restrição a um direito individual.

“Nós estamos restringido um direito em nome da segurança da sociedade. E ainda essa restrição a esse direito não é absoluta, pois a pessoa pode ingerir bebida alcoólica, só não pode estar armada. É uma restrição relativa”, afirmou.

Entidades defendem punição para policiais baderneiros
Apesar de se manifestarem contra a lei que proíbe a venda de bebidas alcoolicas para pessoas armadas, os representantes dos policiais civis e militares afirmam que os agentes da lei que usarem armas de fogo de forma inadequada devem ser punidos.

"Quando um policial civil vai para um evento e puxa uma arma para causar tumulto, ele responde criminalmente, administrativamente e civilmente. Existem leis para isso. Ele pode até perder o seu emprego", afirmou Constantino, do Sinpolpi.

"Que os policiais que não fazem o uso inadequado de arma de fogo sofram as consequências que existem na lei. Se ele não sabe usar, que responda pelos atos", completou Agnaldo José, da associação dos cabos e soldados da PM do Piauí.

Nove ministros do governo Temer estão na mira de Janot

Presidente determinou que os titulares das pastas só serão afastados do governo em caso de ações penais

 
S
eis ministros do governo Michel Temer foram afastados dos cargos após delações da Lava Jato. E a previsão é que a temporada de depoimentos dos ex-excutivos da Odebrecht ainda leve tempo ruim para o Palácio do Planalto, atingindo cerca de 1/3 dos principais aliados do presidente.
Com nove ministros na lista enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF), com pedido de abertura de inquérito por ligações com a empreiteira, como revela O Globo, Temer determinou que os titulares das pastas só serão afastados do governo em caso de ações penais.
Segundo o Valor Econômico, um dos comprometidos seria o Ministro da Agricultura, Blairo Maggi. A lista de Janot inclui ainda Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral), Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Bruno Araújo (Cidades), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia) e Marcos Pereira (Desenvolvimento). Os oitavo e nono nomes ainda não foram divulgados.
Outros dois ministros também estão na lista, mas os nomes deles ainda não foram divulgados. "A chance de estar nesse negócio é zero. Não tem a mínima chance. Nunca tive negócio com esses caras. Minha única relação com eles (Odebrecht) foi pagar pedágio na rodovia que eles construíram", declarou Blairo Maggi, ao Globo, nesta terça-feira.
Rodrigo Janot pediu que o STF abrisse inquérito contra 83 deputados, ministros e senadores. O procurador que investigar ainda dez governadores e políticos, como os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, além dos senadores Aécio Neves e José Serra.



Fonte: JL/Notícias ao Minuto

Atentado em Londres deixa 4 mortos e 20 feridos em frente ao Parlamento

Carro avançou contra multidão na Ponte de Westminster e policial foi esfaqueado; suspeito foi baleado por agentes em caso que está sendo tratado como ato terrorista

P
elo menos quatro pessoas, incluindo o terrorista, foram mortos em frente ao Parlamento britânico, em Londres, nesta quarta-feira, no que a polícia está tratando como um atentado. Pelo menos outras 20 pessoas ficaram feridas. O agressor, que foi baleado por policiais, teria avançado o carro contra pedestres enquanto dirigia pela Ponte de Westminster, próxima à Casa legislativa. Vários feridos estariam em estado grave, de acordo com fontes médicas.
 
Segundo a polícia, um mesmo agressor, inicialmente, usou um carro para avançar contra várias pessoas na Ponte de Westminster. Em seguida, ao chegar na frente do Parlamento, saiu do veículo e esfaqueou um policial, que morreu. O suspeito foi baleado no local. Fontes policiais descreveram o suspeito como um homem asiático de meia idade.
O ataque forçou o fechamento do Parlamento, além de áreas no entorno, estações de metrô e famosos pontos turísticos como a "London Eye". Pouco depois do episódio, a equipe da primeira-ministra, Theresa May, informou que ela estava a salvo, e não quis dizer se ela estava no local na hora do ataque. Há relatos, no entanto, de que a premier estava no Palácio de Westminster e foi retirada do local sob forte operação de segurança.


Fonte: JL/Globo

ARTIGO O machismo na Reforma da Previdência e na lei da Terceirização

A igualdade de deveres só pode vir quando se atinge a igualdade de direitos


por Caroline Apple, jornalista em graduanda em Ciência Política 
O
Brasil caminha para um futuro sombrio e repleto de mulheres idosas pobres, dependentes e doentes. A reforma da Previdência e a lei da Terceirização resultarão, se aprovadas, numa cadeia de acontecimentos que nos levará para o buraco da informalidade e das carências geradas pela falta de um mecanismo constitucional de distribuição de renda justo que contemple boa parte da sociedade. E as mulheres serão as mais afetadas.
O primeiro ponto que salta aos olhos é a equiparação da idade entre homens e mulheres para receber o benefício da aposentadoria. A jornada dupla das mulheres é completamente descartada pelos governantes, com alegações como "mulher vive mais" e até mesmo a má-fé proferida por Rodrigo Maia, que transviou a luta feminista por direitos iguais e afirmou que o "equilíbrio" da idade atende ao desejo dos grupos que lutam pela igualdade de gênero. A igualdade de deveres só pode vir quando se atinge a igualdade de direitos. Não é o caso.
O trabalho doméstico tem historicamente deixado as mulheres para trás na sociedade. Enquanto ela se ocupa com a criação dos filhos e a limpeza da casa, os homens seguem com tempo de sobra para se desenvolverem como humanos. A mulher trabalha, em média, 35h30 fora de casa e mais 21h12 minutos dentro de casa, por semana. O homem, por sua vez, trabalha 41h36 minutos fora de casa (número que caiu nos últimos anos, quando chegou a ser 44h semanais) e menos que a metade dentro de casa. Lembrando que o trabalho doméstico não traz ganho intelectual nenhum. A cena clássica da mulher limpando a casa enquanto o homem lê jornal ainda se repete em pleno século 21.
Qual desses dois indivíduos, por fim, estaria mais preparado para encarar o mercado de trabalho? Caso a mulher consiga esse feito, ela dispensou muito mais empenho, dedicação e tempo do que os homens. E é atrás dessa sobrecarga na pele de nobreza e de "força feminina" que se encontra um dos maiores mecanismos da desigualdade de gênero, que geram outras questões maléficas às mulheres, como as doenças psíquicas. O gênero feminino está 40% mais vulnerável do que o masculino a desenvolver doenças mentais. E, neste cenário, o motivo passa longe de ser biológico. O excesso de estresse, cansaço, pressão social e familiar nos cuidados com os filhos, cobrança estética e manutenção de um casamento por dependência financeira são fatores que levam à mulher a "pifar" mais rápido do que o homem. Podemos até ter uma expectativa de vida de 77 anos, mas a qualidade desta vida pode e deve ser questionada.
Quando a mulher consegue chegar no mercado de trabalho ela se depara com salários 30% menores do que os dos homens em todas as faixas de idade, níveis de instrução, tipo de emprego ou de empresa. Isso não é um dado criado por esquedopatas comunistas. Está lá, no site Observatório de Gênero, do governo brasileiro, com os índices levantados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento. Quem usa como justificativa o ganho inferior das mulheres por elas trabalharem 6h horas a menos, em média, por semana do que os homens, já pode voltar duas casas na escala da evolução da espécie.
Essas seis horas são "compensadas" com juros e correções nos salários baixos, cargos precários, trabalhos domésticos não remunerados e cuidados, muitas vezes, exclusivos com os filhos. Cerca de 5 milhões de crianças sequer têm o nome do pai no registro. Mulheres simplesmente não conseguem se concentrar em suas carreiras porque os homens têm sido levianos com suas responsabilidades dentro de casa, que vai desde a distribuição do trabalho doméstico até a criação dos filhos. Quando ela, enfim, consegue dar conta do recado, ganha menos.
Aí vem a lei da Terceirização para piorar o cenário. Trabalhos terceirizados pagam quase 25% a menos que os funcionários contratados diretamente pelas empresas e trabalham 4h a mais. Pronto, a fórmula perfeita para "colocar a mulher no lugar dela", que está anos luz de ser onde ela quiser para boa parte da população e, principalmente, para boa parte dos governantes, que deixam claro em suas falas que o lugar da mulher é no supermercado comparando preço. Ou representantes de movimentos de direita que se diziam não partidários desqualificados e desinformados que reduzem esse cenário repressor criado pelo patriarcado ao grande sentimento maternal natural das mulheres, que largam a mão de tudo ou trabalham menos fora de casa voluntariamente para cuidar dos filhos. Não confundam necessidade com satisfação pessoal.
No futuro, não haverá de onde tirar renda, a maioria dos postos de trabalho exige esforço físico, principalmente nas camadas mais pobres. Fácil falar que é delicioso se manter ativo (saiba lá o que isso significa para cada um) sentado atrás de uma mesa. Quero ver fazer faxina aos 65 anos, quero ver misturar uma massa, pegar peso como garçom. Trabalhar depois dos 60 anos deveria ser uma opção e não uma obrigação por sobrevivência.
Num país como o Brasil, com a desigualdade de gênero e de classe gritante, a chance de criarmos um exército de idosos dependentes e abandonados é imensa. E esse cenário contempla qualquer trabalhador que só tem sua mão de obra como forma de ganhar dinheiro. Quem viaja, come bem e tem uma vida confortável hoje aos 30, em 35 anos pode estar morrendo na fila de um hospital público ou tendo que se contentar com o que ganha, perdendo toda a autonomia que tem sobre o que come, o que veste e até o que sente em relação à vida. A previsão é que, em 35 anos, 1 em cada 3 pessoas seja idosa. Então, olha o tamanho do problema.
As mulheres seguirão como as maiores vítimas dessas medidas que Michel Temer e seus aliados querem aprovar. Já temos a mulher trabalhando mais que o dobro do que os homens dentro de casa, ganhando menos (com grandes chances desse valor cair ainda mais com a lei da Terceirização), sustentando sozinha seus lares e seus filhos, correndo o risco de ter que trabalhar mais para se aposentar e ainda ter que pensar em guardar dinheiro para tentar ter uma aposentadoria que cubra, ao menos, suas necessidades básicas. Lembrando da vulnerabilidade mental das mulheres que vivem essas condições, que ainda terão que desembolsar R$ 880, em média, num plano de saúde (valor esse cobrado por uma famosa operadora), afinal, a precarização da saúde é um fato. Nem no atual cenário isso tem sido possível, uma vez que, em 2016, o governo pagou em média de aposentadoria R$ 1.283,93. Imagina então depois da reforma? Querem que voltemos caladas para a condição de subalterna e para o estado de servidão do homem, tirando de nós as condições de sermos seres humanos autônomos. Tudo isso de forma constitucional.
Fonte: JL

POLÊMICA Senador diz que opinião pública precisa entender a Reforma da Previdência

Governo não têm convencido a opinião pública

Dezessete senadores da base do governo reuniram-se hoje (22) com o presidente Michel Temer e o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, no Palácio do Planalto. Após Padilha apresentar dados para confirmar a necessidade de uma reforma da Previdência, os senadores criticaram a forma como o governo tem trabalhado a comunicação de seu ponto de vista.
Ao sair, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) disse que a maioria dos parlamentares que participaram da reunião entende que os argumentos do governo não têm convencido a opinião pública dos benefícios que a reforma trará para a população.

“Todos falaram que o governo não está conseguindo vender o peixe para a opinião pública. A ideia passada é de que não [afeta] algum setor, mas que todos estão sendo prejudicados por ela [reforma]”, disse o senador. “Aprovar sem a opinião pública entender os motivos da reforma é um problema para a democracia”, afirmou.

Ainda segundo Cristovam Buarque, foi unânime o apoio dos parlamentares à retirada de servidores estaduais e municipais da reforma da Previdência. Na avaliação do senador, essa mudança de posição do governo federal fortalecerá a aprovação da reforma previdenciária. “Todos se mostraram favoráveis à retirada dos estados. Aliás, questionaram muito isso. Em diversos momentos, foi dito que foi um erro ter incluído eles [estados e municípios] nessa [proposta] de reforma”, disse o senador.
Fonte: JL/Agência Brasil

POLÊMICA Temer retira servidor estadual e municipal da reforma da Previdência

O presidente disse que tomou a decisão após várias reuniões com lideranças da Câmara e do Senado
P
ressionado por lideranças políticas e surpreendendo a todos com um pronunciamento chamado às pressas no início desta noite de terça-feira, 21, o presidente Michel Temer anunciou que a proposta de reforma da Previdência não vai mais incluir a revisão das regras para servidores estaduais e municipais. É o primeiro recuo oficial do governo na proposta da reforma previdenciária.
O presidente disse que tomou a decisão após várias reuniões com lideranças da Câmara e do Senado nos últimos dias. Nesses encontros, segundo ele, "surgiu com grande força" a ideia de que a União deveria respeitar a autonomia dos Estados e municípios, fortalecer o "princípio federativo" e fazer com que a reforma atingisse apenas servidores federais.
"Vários Estados já providenciaram sua reformulação previdenciária. Seria uma relativa invasão de competência e não queremos neste momento levar adiante", disse, citando como exemplo categorias de policiais civis e professores. "Funcionários estaduais e municipais, de forma geral, dependerão da manifestação de seus governos estaduais e municipais", disse Temer.
Temer reiterou que a aprovação da reforma da Previdência é fundamental para o desenvolvimento econômico do País, adequação das contas públicas e geração de novos empregos.
"Estou passando para o relator (Arthur Maia-PPS-BA) e para o presidente da comissão (Carlos Marun-PMDB-MS), que logo amanhã (quarta) transmitirão que, a partir de agora, trabalham com a Previdência apenas para servidores federais", afirmou. "Desde os primeiros momentos da nossa posse, dissemos que queríamos respeitar o princípio federativo. Reitero essa intenção."
Temer ressaltou que tomou a decisão em razão de "peculiaridades locais", e disse que os Estados e municípios farão a reforma "se for necessário". "Se não, não se submeterão a isso", afirmou.
Os servidores públicos fazem parte do grupo mais articulado no Congresso no lobby contra a reforma da Previdência. A decisão do presidente pode abrir novos precedentes de mudanças, já que várias categorias de servidores federais também pedem para ficar de fora da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), entre eles juízes e procuradores do Ministério Público.
O anúncio foi feito sem a presença dos ministros Dyogo Oliveira (Planejamento) e da Casa Civil, Eliseu Padilha, que coordenaram a equipe responsável pela elaboração da proposta. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, esteve reunido com Temer durante o início da noite e participou do anúncio, mas não se pronunciou.
Durante o comunicado, Temer estava cercado por lideranças políticas, entre elas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e os ministros da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e de Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, além do presidente e do relator da comissão da reforma da Previdência na Câmara.
Temer fez apenas um pronunciamento e não respondeu a perguntas, nem mesmo se a medida representava uma derrota da equipe econômica.
Fonte: JL/Notícias ao Minuto

terça-feira, 21 de março de 2017

Aniversário de Vitor Davir e Carlos Henrique- Cocal-Piaui


                       
Irmãos nasceram em anos diferentes, Vitor Davir com 9 anos e Carlos Henrique com dois anos fizeram aniversario 19 março no Tropical Eventos em Cocal-Piauí.

O casal Cesar e Eulália tem dois filhos que sempre fazer o aniversario dos dois no mesmo dia, porque os dois nasceram no mês de março só com data diferente, em razão disso os pais costumas fazer festa para os dois, uma comemoração que juntos os seus primos e demais amiguinhos para abrilhantar sua festa.

                     
 Vitor Davir escolheu o tema: STAR WARS, que foi um espetáculo de alegria naquela tarde com todas as garotadas que corriam e pulava com suas espadas nas mãos mostrando um guerreiro no meio dos convidados.
                               
Já o garotinho, Carlos Henrique, já foi diferente com tema: Galinha Pintadinha, que trouxe para o cenário tudo de uma roça, que ficou muito engraçado para uma região bem nordestina.
                                
Quando a gente conta, ninguém acredita, foi mesmo uma festa como muitas novidades as mesas todos cheias com muitas variedades de doces, os bolos de aniversário de acordo com o tema foi mesmo fantástico, e o mais engraçados é que os convidados tiveram que comprar dois presentes.
                   
Desde que o Carlos Henrique , nasceu, os dois sempre fazem festa juntos. Para a família, tudo se torna mais fácil por causa das despesas dos convidados, pois os carinhos dos pais e dos avôs é uma verdadeira harmonia de paixão que sempre vem se dedicando a cada um, e não foi deixado por menos foram servidos almoços e bebidas para todos os convidados.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 


 

segunda-feira, 20 de março de 2017

RÍTICAS Reinal Azevedo, da Veja, inclui Moro entre os 'porras-loucas' do Judiciário

Blogueiro de Veja comenta o vídeo em que o juiz agradece o apoio da população, na página criada por sua mulher na internet, "e sugere que, sem este, a história poderia ser outra"20/03/17, 15:17
Oblogueiro de Veja Reinaldo Azevedo, que recentemente vem fazendo críticas a ações da Polícia Federal e do Ministério Público, afirma em post nesta segunda-feira 20 que o juiz Sergio Moro, de Curitiba, passou a fazer política. Ele comenta o vídeo em que Moro agradece apoio da população na página criada por sua mulher na internet.

Leia um trecho:

Na coletiva que concederam na sexta-feira, os procuradores Deltan Dallagnol e Carlos Fernando evidenciaram o desprezo que têm pelo Congresso, asseguraram que os senhores parlamentares querem é acabar com a Lava Jato, e um deles, Deltan, antecipou até a data do julgamento de Lula, que será feito pelo juiz Sergio Moro. A condenação veio sugerida nas entrelinhas. Na página-trocadilho criada por sua mulher — "Eu Moro com Ele" —, o juiz agradece o apoio da população e sugere que, sem este, a história poderia ser outra.

Todas essas ações têm nome. E o nome disso é política. É o que fazem os procuradores quando dão coletivas em off; é o que faz Moro quando apela diretamente à população; é o que faz a Polícia Federal quando, com impressionante irresponsabilidade, desfaçatez, ligeireza, falta de elementos e estupidez técnica, demoniza a carne brasileira, cuja excelência é reconhecida mundo afora.

"Há uma evidente sede de protagonismo dessas forças", continua Reinaldo, que prevê que, se entregarmos o Brasil "aos porras-loucas do MPF, da PF e do Judiciário", em dez anos "seremos um Haiti de dimensões continentais". Ele alerta ainda que a Operação Carne Fraca – um "espetáculo grotesco, deprimente e perigoso estrelado pela Polícia Federal" – tem antecedentes. "Não se chegou àquele descalabro do nada. Há muito está em curso a marcha da insensatez", diz.
Fonte: JL/247

Lula: querem me crucificar, mas vou lutar até o fim pelo povo nordestino

Num evento épico, em que água finalmente chegou ao sertão depois de mais de um século de espera, mais de vinte mil pessoas exaltaram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente eleita, mas deposta pelo golpe, Dilma Rousseff, que conceberam e executaram a transposição do São Francisco
Acidade de Monteiro, no sertão da Paraíba, presenciou um evento épico, neste domingo 19, dia de São José, em que a presidente eleita Dilma Rousseff, deposta pelo golpe de 2016, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador Ricardo Coutinho fizeram a inauguração popular da transposição do São Francisco, uma obra que beneficia 12 milhões de nordestinos atingidos pela seca e é a principal realização brasileira nas últimas décadas.

Idealizada pelo Imperador Dom Pedro II em 1877, depois de uma grande seca no Nordeste, a obra só começou a sair do papel no governo do ex-presidente Lula e foi construída na gestão de Dilma. Duas semanas atrás, Michel Temer, que chegou ao poder depois do golpe parlamentar de 2016, fez uma inauguração formal, mas teve que se esconder da população, que não o reconhece como ocupante legítimo do cargo que exerce. Neste domingo, mais de vinte mil pessoas se dirigiram a Monteiro, num evento que foi chamado de "Lulapoalooza" e teve direito a apresentação de artistas locais e de nomes consagrados, como o cantor e compositor paraibano Chico César.

O senador Humberto Costa (PT-PE) lembrou os obstáculos da transposição. "Diziam que era faraônica, diziam que não sairia do papel e a transposição está aí. Isso é só o começo da redenção do Nordeste", afirmou. "O povo quer de volta o maior presidente da História do Brasil. E quando o povo quer, não tem Moro, não tem Globo, não tem Judiciário que impeça". Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores, também discursou e disse que a história começou a mudar no dia 15 de março, quando 1,5 milhão de brasileiros foram às ruas contra a reforma da Previdência. "Um Congresso corrupto não vai tirar nossos direitos", disse ele. Em vários momentos, os discursos eram interrompidos com gritos de "Fora Temer".

O governador paraibano, Ricardo Coutinho, exaltou a figura de Lula. “Para fazer essa obra não podia ser membro da elite, tinha que ser do povo, tinha que ser de Garanhuns”, disse ele. Coutinho destacou, em sua fala da inauguração popular da transposição do Rio São Francisco, a vitória do povo contra o coronelismo. “Nós sabemos o que era o Nordeste, o que não faltava era carcaças de animais na seca, pessoas invadindo mercearias para saquear e matar a fome, não tínhamos Universidade, não tínhamos Institutos federais, não tínhamos cisternas para o homem da terra.”

Dilma falou do projeto recebido de Lula e de como executou a obra. “O presidente Lula deixou um projeto pronto, e eu tenho a honra de ter dado prosseguimento. Vejam vocês a cara de pau de dizerem que a obra podia ser feita e resolvida em 6 meses”, afirmou Dilma. Ela ainda declarou que o governo atual “nunca levantou um dedo pela Transposição”, e chamou a população para votar as urnas em 2018, elegendo Lula como presidente. “Esse golpe ainda está em andamento, e não deixaremos que nos impeçam de competir em 2018. Ganharemos essa eleição em outro de 2018. Vamos exigir que haja eleição, que os competidores não sejam impedidos de competir. No tapetão não. Em 2018 teremos um encontro com a democracia e vamos vencer mais uma vez as eleições", acrescentou.

"Querem me crucificar"

No encerramento, um Lula emocionado também emocionou o público presente. "Sair de onde eu saí, e chegar onde eu cheguei, só sendo as mãos de Deus. Conseguir iniciar essa obra e vê-la pronta é maravilhoso”, afirmou.

“Se querem crucificar, criem vergonha e não queiram crucificar 204 milhões de pessoas que eu sempre defendi. Essa gente não sabe o sofrimento do povo, costuma dizer que o povo do Nordeste é ignorante, ignorantes são eles”, acrescentou.

Lula finalizou seu discurso afirmando que são sabe quanto tempo mais tem de vida, mas garantiu que “se tiver um só minuto será para lutar, levantar o povo nordestino”.
Fonte: JL/Por Aquiles Lins/WSCom

Nomeado bispo para Oeiras (PI): Dom Edilson Soares Nobre

Igreja - Nomeado bispo para Oeiras (PI): Dom Edilson Soares Nobre

Edilson Soares Nobre, atualmente Vigário Geral da Arquidiocese de Natal (RN) - RV
PARTILHA:

Cidade do Vaticano (RV) – Depois de um ano vacante, a Diocese de Oeiras (PI) ganhou um novo bispo esta quarta-feira (11/01). O Papa nomeou o Pe. Edilson Soares Nobre, atualmente Vigário Geral da Arquidiocese de Natal (RN).

Dom Edilson nasceu em 9 de maio de 1965 em Touros (RN). Estudou Filosofia e Teologia no Seminário Maior “São Pedro”, em Natal e Comunicação Social na Pontifícia Universidade Salesiana de Roma. Foi ordenado em 1991.

Desempenha várias atividades na Arquidiocese de Natal: além de ser Vigário Geral, é Pároco da Paróquia de Sant'Ana - Campim Macio; Coordenador Arquidiocesano do Setor de Comunicação; Membro do Colégio de Consultores; Membro do Conselho Episcopal; Membro do Conselho Presbiteral e Membro do Conselho de Assuntos Econômicos.

O município de Oeiras se localiza no centro do estado do Piauí e tem cerca de 37 mil habitantes.


(CM)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...